Redes sociais que impulsionam os bons negócios

Ter uma boa aproximação com o cliente e ser criativo pode ser um passo importante ao realizar uma venda

LIDE Futuro abordou negócios e redes sociaisLIDE Futuro abordou negócios e redes sociais - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Ter um modelo de vendas, atualmente, demanda não só preocupações com os produtos expostos na loja física, mas também no ambiente virtual. Ter uma boa exposição nas redes sociais é fundamental, além do bom tratamento do cliente. Para isso, existem várias ferramentas e estratégias que podem não somente oferecer o produto, mas sim estabelecer uma marca e uma identidade. E uma grande quantidade de pessoas está de olho, o tempo inteiro, seja no computador ou na tela do celular, apenas esperando a oportunidade perfeita para comprar.

De acordo com dados do Facebook, 80% dos perfis do Instagram seguem algum perfil de negócio, por exemplo. Globalmente, Facebook e Instagram possuem 90 milhões de perfis de negócios. “Muitos empreendedores que não possuem muitos recursos começam usando as nossas redes. As empresas que utilizam o nosso tipo de plataforma conseguem ter até 20% a mais de receita no final do ano”, explica Andréa Leal Public Policy do Facebook/Instagram para a América Latina.

A tática para ser parte destes números envolve quatro pilares: criatividade, comunidade, conexões e vendas. Fazer posts interativos, se comunicar diretamente e conhecer o cliente através do Messenger ou do Direct são grandes ferramentas. Além disso, é necessário ter o conhecimento do entorno. De acordo com dados do Facebook, 85% dos brasileiros querem algum tipo de envolvimento das empresas com a comunidade.

Além de ter as vendas por Facebook, Instagram ou até Twitter, outro caminho (que também pode envolver as redes sociais) é o e-commerce próprio. Excecutivo da VTEX, maior plataforma de e-commerce da América Latina, Alfredo Soares é fundador da Xtech Commerce, plataforma que em três anos transacionou mais de 570 milhões de reais em vendas e da startup Socialrocket, que bateu em dois anos 150 mil usuários em sete países.

Soares destaca a positividade de estabelecer uma boa relação com o cliente no e-commerce. “Você consegue através da rede social jogar teu público para ela e nutrir ele de uma maneira mais saudável junto com o e-commerce”, explica o empresário. “É importante ressaltar que a rede social pode atrair novos clientes também, óbvio, mas ela tem muito mais a função de criar uma identidade, uma marca que vai humanizar o teu negócio”, completa. O tema foi destaque no evento do LIDE Futuro, realizado ontem em Boa Viagem, Zona Sul do Recife, que reuniu os especialistas no assunto e empreendedores da região.

Leia também
Senac promove curso sobre comércio nas redes sociais
Humor nas redes sociais, sucesso nas vendas
Palestra com gestor do LinkedIn ajuda empresas a usar mídias sociais

LinkedIn

Mais que uma plataforma para elaborar o currículo, o LinkedIn tornou-se uma rede social de compartilhamento de conhecimento, além de ser uma ótima forma de estabelecer relações profissionais. “Uma forma que vimos de ajudar estes profissionais a alavancarem suas carreiras era aumentar essa troca de informações, a aumentar estas conexões”, afirma Alan Schulte, líder da área de relacionamento com clientes estratégicos do Linkedin.

Essas conexões também estão presentes em massa em Pernambuco. O estado, inclusive, possui 635 mil perfis inscritos na plataforma, além de 10 mil vagas e 700 empresas locais (que têm base no estado). E não apenas empresas podem ajudar a impulsionar os produtos, mas também os próprios diretores, indiretamente. “O CEO é um dos principais porta-vozes da empresa. Então quanto mais ele humanizar a marca da empresa e quanto mais ele comunicar o que se passa no ambiente de trabalho, melhor para a imagem da corporação”, encerra Schulte. 

Veja também

Banco Central registra recorde de remessas de dólares para Brasil
Moeda

Banco Central registra recorde de remessas de dólares para Brasil

Bolsonaro se irrita com homem que pediu para baixar preço do arroz
Arroz

Bolsonaro se irrita com homem que pediu para baixar preço do arroz