Resgate eletrônico de depósitos judiciais chega a 12 estados

De janeiro a outubro, BB operou 1 milhão de pagamentos instantâneos

Banco do Brasil  Banco do Brasil  - Foto: Arquivo/Agência Brasil

Existente há três anos, o sistema de resgates eletrônicos de depósitos judiciais está presente em 12 estados. Segundo o Banco do Brasil (BB), que opera o sistema, 1 milhão de pagamentos foram feitos de janeiro a outubro, totalizando R$ 18,9 bilhões distribuídos por meio eletrônico.

A plataforma digital de pagamento permite validar os alvarás em tempo real e dispensa a ida do beneficiário às agências do Banco do Brasil. Os próprios juízes levantam os valores depositados judicialmente e determinam a forma do crédito: diretamente em conta corrente, poupança, transferência eletrônica disponível (TED) para beneficiários, procuradores ou terceiros ou saques na boca do caixa.

A tecnologia, que interliga os tribunais ao Banco do Brasil, onde estão retidos os depósitos em juízo, dispensa a utilização de papel e a manutenção de arquivos físicos. Segundo a instituição financeira, desde o início do ano, foram economizadas cerca de cinco toneladas de papel do tipo A4, ou 2 mil resmas, cuja produção consumiria 2,7 milhões de litros de água.

Leia também:
Maia diz que decisão do Banco Central sobre câmbio gerou insegurança no mercado
Governo negocia crédito para pagar US$ 500 milhões ao banco dos Brics


O primeiro tribunal a aderir à plataforma, em 2016, foi o Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo (TRT-2). Hoje, o sistema está presente nos tribunais regionais do Trabalho do interior de São Paulo (TRT-15), que funciona em Campinas; de Pernambuco (TRT-6); do Ceará (TRT-7); de Santa Catarina (TRT-12); Goiás (TRT-18); de Sergipe (TRT-20) e do Rio Grande do Norte (TRT-21). Os tribunais de Justiça de seis estados também utilizam o sistema: São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Mato Grosso, Minas Gerais e Roraima.

Até o fim de 2020, o Banco do Brasil pretende expandir o sistema para todo o país. Ao mesmo tempo, a instituição investe num sistema para que correntistas do banco recebam precatórios federais (recursos do governo pagos por ordem da Justiça, sem a possibilidade de recurso) sem a necessidade de alvará. O banco também desenvolve o resgate automático de precatórios e de depósitos judiciais por aplicativos de smartphones. Atualmente, o banco tem 1.282 agências em todo o país interligadas a tribunais.

Veja também

Governo estuda desoneração linear para gerar emprego
Economia

Governo estuda desoneração linear para gerar emprego

Fechamento de fábricas da Ford põe em dúvida futuro do setor no Brasil
Montadoras

Fechamento de fábricas da Ford põe em dúvida futuro do setor no Brasil