Retomada de atividades divide opinião dos setores em Pernambuco

Algumas entidades, como a Apesce e Sinduscon, esperavam medidas melhores para atuar

Construção civilConstrução civil - Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

Após 75 dias de progressivas restrições e o fim do “isolamento social rígido”, Pernambuco atingiu, a “estabilização da curva de contágio”, e deve iniciar o processo de retomada gradual da economia, com o “plano de convivência e atividades econômicas”, programado para iniciar sua implementação na próxima segunda-feira (8), onde a construção civil e o comércio varejista vão iniciar o retorno. Além disso, segmentos como shopping center e salão de beleza e estética estão aptos a uma retomada já no dia 15 de junho.

Para o presidente da Câmara dos dirigentes Lojistas do Recife (CDL-Recife), Cid Lobo, esta etapa é “um primeiro passo importante para uma retomada efetiva”, no entanto, a CDL-Recife deve “acompanhar o andamento das ações e aguardar um posicionamento do município para avaliar quais medidas devem ser adotadas e como realmente vai funcionar a retomada na Cidade do Recife”.

Leia também:
Crédito mais restrito para indústrias em Pernambuco
União comprou R$ 1,907 bi em insumos de combate ao coronavírus
Construção civil e comércio atacadista voltam a funcionar na próxima segunda em Pernambuco


Já o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil em Pernambuco (Sinduscon-PE), Érico Furtado, afirma que a medida não agradou o setor, que aguarda ansioso por uma retomada. “A gente estava com muita ansiedade por isso, que veio pra frustrar nossas expectativas. Foram 70 dias paralisados e ainda vamos voltar com alteração no nosso horário de trabalho, a base não gostou dessa mudança. É uma luz, mas não atende ao que o setor precisa, vamos conviver. Se os 50% que estão de fora demorar a voltar, podem ser 20 mil demissões, e isso não é bom pra economia local”, destacou.

Para o diretor do Sindicato dos Empregadores de Salão de Beleza e Estética de Pernambuco (Sindbeleza/PE) e proprietário da Trois Barbearia, Marcelo Wanderley, a medida é importante para retomada do setor. “Ficamos contentes com a retomada já na etapa 2 do plano inicial, representamos a segunda maior atividade empresarial do estado e acreditamos que o setor conseguirá cumprir e manter todas as medidas necessárias para garantir o bem-estar dos colaboradores e clientes. A nossa expectativa é atender pelo menos 60% da clientela habitual antes da pandemia, e que esse número cresça gradativamente a medida que a confiança em relação ao controle do vírus for avançando”, disse.

Já no segmento dos shoppings, a reação é de que a reabertura na forma de delivery poderia ter sido feita já na próxima segunda-feira, como conta o presidente da Associação Pernambucana de Shopping Centers (Apesce), Paulo Carneiro. “Os shoppings estão fechados desde o dia 21 de março e retomar no dia 8 seria uma boa para o setor, aproveitando a data do dia dos namorados, mas não levaram em conta. Dia 15 podemos operar com esquema de drive thru. São 3 mil lojistas nesse segmento em Pernambuco, onde 70% são de pequenos empresários e toda essa retomada será feita de forma segura para todos”, declarou.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Guedes quer Trabalho e Previdência de volta após saída de Onyx para eleição
POLÍTICA

Guedes quer Trabalho e Previdência de volta após saída de Onyx para eleição

Saiba mais sobre a alta da taxa Selic
ECONOMIA

Saiba mais sobre a alta da taxa Selic