Rodrigo Maia diz que não vai votar MP da privatização da Eletrobras

Segundo Maia, o governo e a Fazenda foram avisados de que havia desconforto nas bancadas com o texto do deputado federal Júlio Lopes

Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo MaiaPresidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia - Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta terça-feira (22) que deixará caducar a medida provisória que trata da privatização da Eletrobras e suas distribuidoras. A matéria precisaria ser aprovada antes do dia 1º de junho na Casa e no Senado para não perder validade. "[O relatório da MP vem] Com aumento de tarifa. Nem o plenário da Câmara o nem do Senado querem votar", afirmou.

Leia também
BNDES publica edital para modelagem de privatização da Eletrobras
No Rio, Bolsonaro diz ter reservas à privatização da Eletrobras
Venda de ações da Eletrobras deve começar no primeiro semestre de 2019, diz Marun


Segundo Maia, o governo e a Fazenda foram avisados de que havia desconforto nas bancadas com o texto do deputado federal Júlio Lopes (PP-RJ). "Se não tem voto, não adianta ficar insistindo. Tem outras matérias que a gente precisa aprovar também", disse. Ele afirmou que o governo reenviará a matéria por meio de projeto de lei.

Veja também

2021-2029. Quais forças ditarão na próxima década? Parte III
Diplomacia Econômica

2021-2029. Quais forças ditarão na próxima década? Parte III

Consumidor deve ter calma ao aceitar produtos financeiros
Economia

Consumidor deve ter calma ao aceitar produtos financeiros