Rota do Atlântico reajusta valor do pedágio em 6%

Com o aumento de 6,06%, a tarifa básica, que compreende carros de passeio, caminhonetes e furgões, passará de R$6,60 para R$ 7,00

Vagas de empregoVagas de emprego - Foto: Marcello Casal/Arquivo/Agência Brasil/Agência

A partir do dia 4 de janeiro, quem passar pelas rodovias administradas pela Concessionária Rota do Atlântico, que dá acesso a destinos como o Complexo Industrial Portuário de Suape e às praias do Litoral Sul do Estado, vai pagar um pedágio mais caro.

Com o aumento de 6,06%, a tarifa básica, que compreende carros de passeio, caminhonetes e furgões, passará de R$6,60 para R$ 7,00. Já a tarifa de caminhão leve e ônibus, com rodagem dupla e dois eixos, subirá de R$13,20 para R$ 14,00. Os caminhões com semirreboque e ônibus, também com rodagem dupla e três eixos, pagarão R$ 21,20. Para motocicletas, motonetas e bicicletas a motor, o valor será R$3,50.

Regulamentado pela Agência Reguladora de Pernambuco (Arpe), o reajuste dos valores é previsto desde o início do contrato da concessão para administração da Rota do Atlântico, em 2011. “O reajuste se baseia no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que no período de setembro de 2015 a setembro de 2016 ficou em 6,06%”, explica o diretor de Regulação Técnica Operacional da Arpe, Ricardo Fiorenzano.

Segundo a Rota do Atlântico, a tarifa de pedágio considera a remuneração dos mais de R$ 350 milhões investidos até o momento pela concessionária para garantir a agilidade e a segurança na prestação de serviço ao usuário. O valor abrange o Serviço de Auxílio ao Usuário (SAU), 24 horas, que conta com o suporte de inspetores de tráfego, guinchos leve e pesado, ambulância com resgatistas e viaturas de inspeção de tráfego.

Veja também

Netflix dispara na bolsa após superar os 200 milhões de assinantes
Mercado

Netflix dispara na bolsa após superar os 200 milhões de assinantes

Privacidade e WhatsApp: em que a última atualização interfere?
Tecnologia e games

Privacidade e WhatsApp: em que a última atualização interfere?