A-A+

Saiba como brincar o Carnaval com pouco dinheiro

Quem está com o orçamento apertado para brincar no Carnaval precisa ficar atento para não chegar na Quarta-feira de Cinzas cheio de dívidas pela frente

Para Fernanda Lima, planejamento é a chave para economizar durante o Carnaval Para Fernanda Lima, planejamento é a chave para economizar durante o Carnaval  - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

O tão aguardado Carnaval que muita gente espera ansiosamente e conta os dias após a virada de ano chegou. O fato é que para muitas pessoas, o ano só começa após a época carnavalesca que arrasta uma multidão pela cidade. Com ela, as ruas ficam coloridas e repletas de alegria, pelo calor humano que move uma imensidão de foliões com uma energia inesgotável. E essa gente toda acorda cedinho para ocupar as ruas da cidade, seja lá aonde for. Onde tem festa, tem folião. No entanto, quem está com o orçamento apertado para brincar no Carnaval precisa ficar atento para não chegar na Quarta-feira de Cinzas cheio de dívidas pela frente.

De acordo com educador financeiro do Centro Universitário Brasileiro (Unibra), Bruno Moura Tôp, a dica é se programar antes de fazer qualquer coisa para não ficar repleto de despesas após a época. “Em relação à locomoção, caso use transporte por aplicativo a dica é tentar pegar um horário fora de pico, para evitar os preços dinâmicos. Tente sair mais cedo e programe-se. Na volta para casa, a dica é a mesma: evitar horários de grande fluxo”, explica Moura que ainda orienta para tentar dividir o valor do transporte com grupos de amigos.

Em relação ao consumo, a dica é levar o que puder de casa e evitar produtos muito abaixo do valor. “Tenha cuidado para o chamado barato que sai caro. Uma comida estragada pode acabar com seu Carnaval. Procure levar de casa uma comida, um biscoito ou algo que possa carregar de forma tranquila em uma bolsa, por exemplo. Para quem leva bebida é indicado comprar previamente e levar tudo em uma bolsa térmica ou em um cooler", acrescenta.

Leia também: 
Comer na rua? Saiba como fazer a escolha certa no Carnaval
Dia do Empreendedorismo Feminino: do mil ao milhão
Veja onde encontrar serviços de saúde durante o Carnaval

Mesmo sem conhecer as dicas do especialista, a universitária do curso de nutrição Irene Felinto, já aproveita a época para brincar, mas com consciência no bolso até na hora de beber. Segundo ela, a economia faz uma boa diferença no fim das festas e o famoso ‘3 latão é 10’ fica de escanteio. “Consigo economizar cerca de 30% levando minha própria bebida de casa. Geralmente eu me reúno com um grupo de amigos para comprar cerveja numa quantidade maior e sai mais vantajoso” detalha.

Irene ainda explica que junto ao grupo de amigos, eles conseguem levar o gelo e as bebidas armazenadas. Mesmo no calor de Olinda, as bebidas conseguem ficar conservadas. Este é o quarto ano seguido que ela coloca em prática a estratégia de levar as próprias bebidas. “Quando estou com mais tempo sobrando eu inovo e faço uns drinks com morango, limão ou com a fruta que tiver”, acrescenta.

Com relação às tradicionais fantasias de Carnaval, não tem jeito. Elas são caras e precisa de um dinheiro extra. Mas de acordo com Moura, ainda há uma saída para resolver o “problema” e conseguir se fantasiar e ainda gastar pouco. “Hoje em dia há muitas opções de lojas de desapego, com fantasias usadas. Uma outra dica é comprar o tecido para confeccionar a própria fantasia. Estabeleça uma quantia e se conhecer uma costureira, pode tentar fazer um preço mais barato”, conta.

E foi assim que pensou a também estudante de nutrição Fernanda Lima, na hora de gastar pouco. Para ela, o planejamento é a chave para economizar durante o Carnaval. “Nunca tive uma fantasia comprada em loja, daquelas caríssimas. Junto com a minha mãe, fazemos tudo. A gente dá um jeitinho e estamos ficando cada vez melhores. Em uma fantasia que eu gastaria mais de R$ 100, comprando pronta, fazendo em casa e comprando o material, consigo economizar bastante e tudo sai por no máximo R$ 15”, detalha ainda dizendo que além de reduzir os custos, desta forma ela consegue dar personalidade à fantasia customizada.

Com a economia, Fernanda usa o dinheiro para outros gastos durante o Carnaval. Em relação às bebidas, ela une-se às amigas para levar algo de casa e já gastar menos comprando. “A minha principal estratégia é com organização. Planejando-se com antecedência, tudo dá certo e seu Carnaval sai baratinho. É só fazer sua própria fantasia, levar sua própria bebida e sua comida. É assim que consigo ‘sobreviver’ ao Carnaval”, salienta.

Cuidado com orçamento é fundamental
Início de ano é uma data em que as pessoas ainda estão organizando a situação financeira. Com IPVA, IPTU, colégio das crianças e material escolar, o orçamento dá uma apertada. E no Carnaval as pessoas costumam gastar bastante, usando até cartões de crédito. Mas é preciso ir com cautela. É que uma pesquisa recente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revela que quase metade (48%) dos consumidores brasileiros não controla o seu orçamento, seja porque confiam apenas na memória para anotar despesas (25%), não fazem nenhum registro dos ganhos e gastos (20%) ou delegam a função para terceiros (2%).

E no período carnavalesco a empolgação em gastar não poderia ser diferente. Moura destaca que no calor do momento as pessoas ficam mais propícias a consumirem em maior quantidade. “O cuidado com cartões de crédito deve ser redobrado. Além de contrair dívidas, há que se ter cuidado com as fraudes, que são recorrentes nesta época. Caso opte por levar o cartão, o indicado é riscar o código de segurança, que são aqueles três números na parte traseira do cartão”, alerta o especialista. Para ele o cartão de débito é mais seguro e neste momento de Carnaval é recomendado levar dinheiro em espécie.

Nesta situação, a dica é ter cuidado para não cair no exagero. “A solução é separar o que você pode gastar e estipular uma quantia para cada dia de folia. Desta forma você não gasta mais do que pode”, explica. Para quem está inadimplente o cuidado precisa ser redobrado. “Quem está nessa situação é interessante que saque o dinheiro em espécie para que não arrume mais dívida depois do período. Separar uma quantia para os dias de festa, evite que você use uma quantia que não tem”, recomenda. Para ele, neste caso, a dica é: deixe o cartão em casa.

Um outro ponto importante que o especialista em Finanças destaca é que na hora de viajar, procure lugares mais próximos. “Para quem vai viajar e for pegar a estrada precisa ter cautela. É que nesta data as vias ficam com mais tráfego. Com mais trânsito o gasto de combustível é maior. O custo da gasolina está alto, então procure ir para praias mais perto de sua casa, para não acabar gastando demais” aponta. Por fim, Moura ainda destaca que é preciso ter cuidado para não perder a documentação. “O prejuízo em perder documentos é grande e você pode ter que gastar um dinheiro extra para tirar uma nova via”, completa.

Veja também

Curso Mulheres de Negócios, do Sebrae, abre inscrições na próxima segunda-feira (18)
Empreendedorismo

Curso Mulheres de Negócios, do Sebrae, abre inscrições na próxima segunda-feira (18)

Empresas de beleza esperam receita de US$ 30 milhões no mercado árabe
Economia

Empresas de beleza esperam receita de US$ 30 milhões no mercado árabe