Economia

Saudades da Disney ou de NY? Procura por passagens para EUA dispara após anúncio de abertura do país

Medida so valerá a partir de novembro e, no entanto, ainda não foi detalhada nem regulamentada pelo governo americano

Walt Disney WorldWalt Disney World - Foto: Disney Parks/Divulgação

A procura de brasileiros por passagens e pacotes de turismo com destino aos Estados Unidos tem aumentado desde o anúncio feito na segunda-feira de que o país receberá viajantes internacionais totalmente vacinados contra Covid-19 a partir de novembro. A medida ainda não foi oficialmente publicada no site da Casa Branca e precisa ser regulamentada, mas já provocou frisson no mercado.

Na Decolar, o movimento foi 88% maior nesta segunda em relação à segunda-feira da semana passada (13). Miami foi o destino mais procurado no dia, seguido por Nova York, Orlando, Boston e  Los Angeles.

Já na plataforma Kayak, há aumento nas buscas por passagens a Orlando (62%), Miami (61%) e Nova York (47%), na comparação semanal. Os índices, no entanto, são menores do que os registrados há um ano. Nesta terça-feira, o preço médio das viagens a Orlando era R$ 3.449; a Miami, R$ 3.561; e a Nova York, R$ 4.120, segundo o Kayak. Na comparação com o registrado um mês atrás, os preços para o primeiro destino subiram 9%, e dos demais recuaram 2% e 5%, respectivamente.

Segundo Sylvio Ferraz, diretor de produtos internacionais da CVC Corp, pacotes com destino aos EUA representam historicamente cerca de 35% do mercado de rotas internacionais para brasileiros.

— Estou em uma feira sobre turismo em Las Vegas e foi uma surpresa para os executivos aqui. A expectativa é de que todas as vacinas aceitas pela OMS sejam contempladas. Hoje, a CoronaVac já é aceita para espectadores na Broadway, por exemplo — diz.

Mesmo que a CoronaVac esteja entre as vacinas contempladas, a exigência de visto e a expectativa de que os consulados e a embaixada americana no Brasil demorem para conceder novas autorizações são vistos como possível limitador para brasileiros, de acordo com o executivo.

— Temos um desafio que é o do tirar visto americano, estamos imaginando essa retomada primeiramente para quem já tem visto, porque a agenda para retirada de vistos agora tem sido apenas para 2022 — afirma Ferraz.

Ainda assim, a expectativa do setor, segundo o executivo, é de que as companhias aéreas brasileiras aumentem sua oferta de voos para os EUA.

Em nota, a Latam Brasil afirma que "recebe com entusiasmo a notícia dos planos de abertura das fronteiras do Estados Unidos, pois é um importante mercado para a companhia".

"A empresa está preparada para aumentar os voos entre Brasil e Estados Unidos, assim que essa informação for oficializada. A Latam não deixou de operar voos do Brasil para os Estados Unidos nem mesmo durante a pandemia nas rotas GRU-MIA (Miami) e GRU-JFK (Nova York)", diz a empresa.

A partir de outubro, as companhias aéreas também poderão aumentar sua oferta para outro destino comum dos brasileiros. Nesta terça-feira, o governo da Argentina anunciaram a reabertura das fronteiras terrestres com países vizinhos a partir de 1º de outubro. Os turistas  de países vizinhos poderão entrar na Argentina por terra, sem a necessidade de fazer quarentena, e os voos também poderão ser retomados no mês que vem, mas vai depender da autorização dos governadores de cada província. Já os demais viajantes internacionais terão a entrada permitida a partir de 1º de novembro.

Para entrar no país, serão necessários comprovantes de vacinação completa e testes PCR. Quem não estiver totalmente imunizado, terá de fazer quarentena no país e será testado após sete dias.

A Latam Brasil, em nota, disse que "a empresa já está voando para a Argentina e está preparada para aumentar os voos entre os países vizinhos assim que essa informação for oficializada. Neste mês, a LATAM está operando 1 voo semanal entre São Paulo/Guarulhos e Ezeiza".

Veja também

Confira o que abre e o que fecha no feriado de Tiradentes, celebrado neste domingo (21)
Pernambuco

Confira o que abre e o que fecha no feriado de Tiradentes, celebrado neste domingo (21)

Se os Simpsons morassem na Argentina não chegariam ao fim do mês, aponta estudo
ESTUDO

Se os Simpsons morassem na Argentina não chegariam ao fim do mês, aponta estudo

Newsletter