A-A+

Sedã para todos os desafios

Jetta Comfortline é a versão mais completa do portfólio do sedã. Na cidade, não faltam conforto e tecnologia. Na estrada, potência e disposição. Em trechos off road, esbanja desenvoltura

Jetta 2019Jetta 2019 - Foto: Divulgação

Quando foi apresentada, a nova linha do Jetta surpreendeu muita gente. É que, além de maior e mais atraente, o sedã médio da Volkswagen ficou consideravelmente mais caro. Hoje, o modelo vai de R$ 100 mil a R$ 145 mil. Mesmo assim, não cansa de arrancar olhares dos admiradores de sedãs. Afinal, paga o que promete.

Chegamos a essa conclusão depois de rodar por dez dias com o Jetta Comfortline - a segunda versão mais completa do portfólio do sedã, que sai por R$ 110 mil. Afinal, nesse período, pudemos encarar qualquer desafio a bordo do três volumes da Volkswagen: no trânsito urbano, não faltou conforto e apoio tecnológico; na estrada, sobrou potência e disposição; e até em trechos off road o sedã mostrou desenvoltura.

Isso foi possível porque, nesta nova geração, importada do México, o Jetta vem na nova plataforma modular da Volkswagen, a MQB. Isso permitiu que o modelo crescesse em todas as direções: está 43 milímetros mais comprido, 21 milímetros mais largo e um milímetro mais alto, o que fez com que o entre-eixos ganhasse 37 milímetros em relação à geração anterior.

Leia também:
Corolla será o primeiro híbrido flex feito no Brasil
Renault confirma interesse em fusão com Fiat-Chrysler


O sedã oferece, portanto, muito espaço interno e mais altura, deixando seus ocupantes bem acomodados e empoderados para colocar o carro até em solos mais irregulares. A remodelação ainda permitiu que o modelo ganhasse um ar mais atraente, graças a toques de esportividade que casam muito bem com o design clássico e requintado típico dos sedãs.

Além disso, o Jetta vem com um conjunto mecânico de respeito. O modelo é equipado com o motor 1.4 TSI Total Flex e transmissão automática de seis marchas em quase todas as versões - apenas o GLI traz uma configuração diferente, por conta do motor 350 TSI que chega a 230 cavalos.

Potência, porém, também não é problema nas demais versões, equipadas com o 1.4 TSI. Afinal, esse propulsor oferece até 150 cavalos de potência e um torque de 250 Nm. É o suficiente para acelerar sem medo na estrada: segundo a Volkswagen, nesta sétima geração, o Jetta vai de 0 a 100 km/h em 8,9 segundos e tem velocidade máxima de 210 km/h, independentemente do combustível.

Por falar em combustível, apesar de potente, essa combinação não exige muito do tanque. Apesar de toda essa disposição, o Jetta Comfortline mostrou-se bastante econômico. Nos dez dias de teste drive, o consumo médio foi de 11,5 quilômetros por litro - marca que nem todos os carros desse porte conseguem alcançar com um conjunto mecânico como esse.

Um dos instrumentos que garante essa marca é o Start/Stop - item de série em todas as versões do modelo. A lista de atributos do Jetta, por sinal, é grande. O modelo sai de fábrica com seis airbags, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, faróis e lanternas de LED, rodas de liga leve 16” e ar-condicionado digital, além de Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC), Bloqueio Eletrônico do Diferencial, e Função de Frenagem de Manobra (RBF).

Por isso, até a opção de entrada do modelo, o Novo Jetta 250 TSI, que sai por R$ 100 mil, desponta como uma boa opção. O carro só não vem com itens presentes no Comfortline como os bancos de couro. Já quem quer o requinte o espaço do sedã com um toque mais apimentado (e tiver recursos para isso) ainda pode apostar no Jetta GLI, que traz o famoso conjunto mecânico do Golg GTI para o segmento dos três volumes. Essa opção mais aventureira, porém, sai por R$ 145 mil.

Veja também

Entenda por que a Evergrande sinaliza desaceleração da China e seu impacto no Brasil
Bolsa

Entenda por que a Evergrande sinaliza desaceleração da China e seu impacto no Brasil

Dólar recua e Ibovespa apresenta alta, apesar da crise chinesa
Ibovespa

Dólar recua e Ibovespa apresenta alta, apesar da crise chinesa