Segunda parcela do auxílio de R$ 600 deve ser paga a partir da semana que vem

Segundo ele, até agora, 50 milhões de brasileiros têm direito de receber o auxílio emergencial

Site da Caixa para solicitar o Auxilio EmergencialSite da Caixa para solicitar o Auxilio Emergencial - Foto: Alfeu Taveres / Folha de Pernambuco

A Caixa Econômica Federal deverá começar a pagar a segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 600 no meio da próxima semana, segundo informou o ministro Onyx Lorenzoni (Cidadania) em entrevista no programa Brasil Urgente nesta quinta-feira (30).

Segundo ele, até agora, 50 milhões de brasileiros têm direito de receber o auxílio emergencial, de um total de 96 milhões de CPFs analisados pela Dataprev (empresa de tecnologia do governo). De acordo com o ministro, são 31 milhões de brasileiros não são elegíveis, ou seja, não terão direito ao benefício.

Há ainda um número de CPFs cuja análise foi inconclusiva, o que engloba 13,6 milhões de brasileiros. Neste caso, o ministro informou que começou a ser feita reanálise destes CPFs para identificar quem, dentre os mais de 13 milhões, têm direito ao auxílio para que o pagamento seja feito.

Leia também:
Fila na Caixa para sacar auxilio emergencial é da nossa cultura, diz Onyx
Caixa libera neste sábado saque do auxílio de R$ 600 para nascidos em setembro e outubro


"Hoje [quinta-feira,30], já começaram a procurar nestes 13 milhões de CPFs quem tem direito, para solucionar sem que a pessoa tenha que fazer novo cadastramento. É um trabalho grande e nós estaremos, já na próxima semana, com a verificação destas pessoas."

Ele diz ainda que a Dataprev trabalha "para colocar um site no ar para a pessoa saber exatamente o que aconteceu com ela".

Sobre o pagamento da segunda parcela, o ministro informou ainda que, quem tem direito ao benefício e ainda não recebeu irá ter a grana retroativa, caso se inscreva até 2 de julho e cumpra todas as exigências. Neste caso, é possível receber até R$ 1.800 de uma vez.

MAIS DE SEIS MILHÕES
O ministro disse também que, na semana que vem, a Caixa deve liberar o benefício para mais de 6 milhões de pessoas. Esses cidadãos se inscreveram via aplicativo ou site e tiveram seus CPFs analisados pela Dataprev nesta semana. Os dados estão sendo enviados para a Caixa.

Balanço do banco divulgado nesta quinta-feira (30) mostra que, até as 17h, 49,7 milhões de informais haviam se inscrito no site ou no aplicativo do auxílio emergencial para ter o benefício.

De acordo com a lei, pode receber o auxílio quem cumprir as seguintes condições, acumuladamente:
- É maior de 18 anos
- Não tem emprego formal
- Não receba benefício assistencial ou do INSS, não ganhe seguro-desemprego ou faça parte de qualquer outro programa de transferência de renda do governo, com exceção do Bolsa Família
- Tenha renda familiar, por pessoa, de até meio salário mínimo, o que dá R$ 522,50 hoje, ou renda mensal familiar de até três salários mínimos (R$ 3.135)
- No ano de 2018, recebeu renda tributável menor do que R$ 28.559,70

O futuro beneficiário deverá ainda cumprir pelo menos uma dessas condições:
- Exercer atividade como MEI (microempreendedor individual)
- Ser contribuinte individual ou facultativo da Previdência, no plano simplificado ou no de 5%
- Trabalhar como informal empregado, desempregado, autônomo ou intermitente, inscrito no CadÚnico até 20 de março deste ano ou que faça autodeclaração e entregue ao governo

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Brasil perde chance de combater sonegação via paraísos fiscais, diz secretária da OCDE
SONEGAÇÃO

Brasil perde chance de combater sonegação via paraísos fiscais, diz secretária da OCDE

Consumidor pode pagar mais R$ 3,6 bi na conta de energia para evitar apagão
CONTA DE LUZ

Consumidor pode pagar mais R$ 3,6 bi na conta de energia para evitar apagão