Senado expande auxílio de R$ 600 e autoriza governo a pagar salários para evitar demissões

O projeto recebeu 79 votos favoráveis, a unanimidade dos senadores que participaram da sessão

Texto contou com o relatório do senador Esperidião Amin (PP-SC), aprovado em sessão virtualTexto contou com o relatório do senador Esperidião Amin (PP-SC), aprovado em sessão virtual - Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

O Plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira (1º) projeto de lei expandindo o alcance do auxílio emergencial de R$ 600,00 a ser pago a trabalhadores informais de baixa renda durante a pandemia do coronavírus (PL 873/2020). O projeto recebeu 79 votos favoráveis, a unanimidade dos senadores que participaram da sessão, e segue agora para a Câmara dos Deputados.

Também fica criado o Programa de Auxílio Emprego, que autoriza o Poder Executivo a pagar parte dos salários de trabalhadores (até o limite de três salários mínimos) para que eles não sejam demitidos no período seguinte à pandemia. Os pagamentos acontecerão durante todo o estado de calamidade pública.

Leia também:
Governo muda estratégia após críticas de especialistas e deve liberar auxílio de R$ 600 sem PEC
Bolsonaro anuncia que vai sancionar auxílio de R$ 600 para aliviar impacto do coronavírus


Essa medida dependerá de acordos com os empregadores (sejam pessoas físicas ou jurídicas, e a proibição da demissão se estenderá por um ano, contado a partir do fim da parceria.

Os senadores agora votam destaque, proposto pela bancada do PT, que pode elevar o valor do auxílio para R$ 1.045 — o equivalente a um salário mínimo.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

 

Veja também

Caixa paga hoje auxílio emergencial a nascidos em agosto
Economia

Caixa paga hoje auxílio emergencial a nascidos em agosto

Preços do café em forte alta durante geada no Brasil
Economia

Preços do café em forte alta durante geada no Brasil