Mobilização

Servidores públicos federais fazem ato no Recife por reajuste salarial

Os servidores pedem reposição salarial de quase 20% pelos anos sem ajustes salariais

Ato público contra o descaso do governo com o serviço público Ato público contra o descaso do governo com o serviço público  - Foto: Marconi Meireles/Folha de Pernambuco

Os funcionários públicos federais de diversos sindicatos de Pernambuco participam, nesta quarta-feira (30), de um ato público nacional que constitui uma das ações da Campanha Salarial 2022, que segue em movimentação desde o dia 18 de janeiro. Representantes federais da campanha estão com reunião marcada com o Governo do país para a primeira sexta-feira de abril.

As reivindicações do ato buscam a reposição salarial de 19,99%, referente às perdas sentidas durante o governo de Jair Bolsonaro, a revogação da Emenda Constitucional 95, que congelou os investimentos públicos durante 20 anos, e o arquivamento da proposta da reforma administrativa (PEC-32)

Em Pernambuco, os trabalhadores do serviço público se concentraram no Recife, pela manhça, em frente à Superintendência Regional do Ministério da Economia, no Bairro do Recife, com um carro de som e microfones sendo utilizados pelos representantes dos sindicatos para anunciar as melhorias buscadas.

“Hoje tem caravanas de todos os estados, inclusive Pernambuco, em Brasília, e cada estado escolheu um órgão público federal para fazer sua mobilização. A gente está há cinco anos sem reajuste e estamos vendo a política pública ser destruída”, explicou o secretário geral do Sindsep-PE, José Felipe Pereira.

Segundo o sindicalista, o Governo Federal não investe dinheiro suficiente nos serviços voltados à população e, com os anos sem reposição salarial desde o governo Temer, a situação dos servidores está cada vez mais difícil. 

“Estamos em campanha salarial emergencial, estamos há vários anos sem aumento e estamos reivindicando concurso público, qualidade de serviço e melhorias; temos órgãos filiados sem nenhuma condição de executar suas tarefas e, quando os órgãos públicos deixam de executá-las, quem paga o preço é a sociedade”, explicou José Felipe.

O coordenador geral do Sindsprev-PE, Luís Eustáquio, pontuou que a mobilização está acontecendo em diversas cidades do Estado, citando o exemplo do INSS, que possui instalações em Caruaru, Petrolina e Garanhuns, além do Recife. 

A luta é de todos os servidores federais, não estamos pedindo aumento salarial, estamos pedindo uma reposição. Faz cinco anos que não temos reposição e, de lá para cá, foram quase 37% sem reposição. É como se você tivesse R$ 1 mil de salário e, depois de 5 anos, você só compra com esse dinheiro o equivalente a R$ 650; é sobre esse prejuízo”, afirmou Luís. 

De acordo com ele, o valor de reposição pedido pelos servidores não representa o valor congelado há cinco anos, que seria de 37% e, sim, o valor não restituído apenas durante o governo atual, que corresponde a 19,99% de reposição de infração.

“A gente está prejudicado, nossos filhos, nossa família, os servidores federais já não aguentam mais”, concluiu o coordenador. 

Para a servidora federal aposentada Almerinda Xavier, de 75 anos, a falta de reposição do valor tem trazido insegurança. Ela contou que quatro de seus parentes estão desempregados e ela tenta ajudá-los com o seu dinheiro, mas a situação tem se tornado cada vez mais desafiadora. 

“A perda é muito grande, mas a gente espera alguma coisa. Remédios aumentaram, alimentação aumentou, o custo de vida em geral. A perda é muito grande e fica difícil para o aposentado viver”, afirmou Almerinda, antes de acrescentar: “Vim reivindicar meus direitos por mim, que estou aposentada, também pelos os que estão na ativa e pelo povo do Brasil; a gente tem esperança de dias melhores”. 

O ato acontece de forma simultânea em diversos outros estados e, em Brasília, uma marcha nacional ocorre com a presença de servidores provenientes de todas as regiões brasileiras, buscando visibilidade e respostas sobre as reivindicações. 

Estavam presente na ação os seguintes sindicatos: 

O Sindicato dos Trabalhadores Públicos Federais em Saúde e Previdência Social no Estado de Pernambuco (Sindsprev-PE), Sindicato dos Servidores Públicos de Pernambuco (Sindsep), Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal em Pernambuco (Sintrajuf), Associação dos Docentes da Universidade Federal Rural de Pernambuco (Aduferpe), Associação dos Docentes da UFPE (Adufepe), Sindicato dos Trabalhadores das Universidades Federais de Pernambuco (Sintufepe), Sindicato Nacional dos Trabalhadores em Fundações Públicas Federais de Geografia e Estatísticas (Assibge) e Sindicato Nacional dos Servidores do MPU, CNMP e ESMPU (Sindmpu). 

Veja também

Novo Audi Q5 chega como primeiro híbrido da marca no país por R$ 413.990
FMotors

Novo Audi Q5 chega como primeiro híbrido da marca no país por R$ 413.990

Intenção de consumo das famílias cresce 2,9%
Economia

Intenção de consumo das famílias cresce 2,9%