Sete Brasil adia assembleia que discutiria recuperação judicial

A empresa não comenta o assunto, mas a reportagem apurou que o adiamento teve como objetivo dar mais prazo para negociações com a Petrobras a respeito do número de sondas que podem ser contratadas pela estatal

PetrobrasPetrobras - Foto: Reprodução/Fotos Públicas

A Sete Brasil adiou para o dia 10 de outubro assembleia de credores que seria realizada nesta segunda (28) para analisar o novo plano de recuperação judicial, entregue à Justiça no início do mês.

A empresa não comenta o assunto, mas a reportagem apurou que o adiamento teve como objetivo dar mais prazo para negociações com a Petrobras a respeito do número de sondas que podem ser contratadas pela estatal.

No dia 23 de junho, a Petrobras informou que sua diretoria havia autorizado o reinício das conversas com a Sete, empresa criada no governo Lula para ser a maior fornecedora de sondas de perfuração para o pré-sal.

Com o início da Operação Lava Jato, a Sete passou a enfrentar dificuldades ara obter financiamento e, em abril de 2016, apelou à recuperação judicial, com uma dívida calculada em R$ 19,3 bilhões.

O novo plano prioriza a construção de quatro das 29 sondas contratadas -aquelas em estágio mais avançado de construção e que estão em estaleiros com capacidade para concluir as obras mais rapidamente e, se possível, com recursos próprios.

Como garantia, a Sete propõe dar aos estaleiros o direito de vender as unidades, caso atrase os pagamentos.

O plano diz que a empresa precisará de US$ 4,345 bilhões para construir até oito sondas e dá prioridade sobre o fluxo de caixa às instituições que emprestarem os recursos. Os atuais credores só começariam a receber recursos a partir de 2020.

A empresa tem como sócios a Petrobras, os bancos BTG Pactual, Santander e Bradesco, os fundos de pensão Petros, Funcef e Previ -dos empregados da Petrobras, Caixa e Banco do Brasil, respectivamente- e investidores estrangeiros.

No início do ano, os fundos de pensão iniciaram processos de arbitragem internacional contra a Petrobras para tentar recuperar o investimento. Segundo a estatal, o valor pedido é R$ 4,475 bilhões.

Veja também

Netflix dispara na bolsa após superar os 200 milhões de assinantes
Mercado

Netflix dispara na bolsa após superar os 200 milhões de assinantes

Privacidade e WhatsApp: em que a última atualização interfere?
Tecnologia e games

Privacidade e WhatsApp: em que a última atualização interfere?