Shopping Centers

Shoppings reabrem nesta segunda-feira com cautela e sem festa

Reabertura acontecerá na quarta etapa das onze previstas pelo Governo do Estado para a retomada econômicaReabertura acontecerá na quarta etapa das onze previstas pelo Governo do Estado para a retomada econômica - Foto: Divulgação

Leia também

• Com queda nas lojas físicas, shoppings do Brasil vão vender pela Amazon

• Em dia de retomada de comércio, isolamento em PE fica em 40%

• Veja como os shoppings do Grande Recife se preparam para reabertura

Após mais de 90 dias fechados, os shoppings da Região Metropolitana do Recife (RMR) vão retomar as atividades presenciais de forma gradual a partir de hoje, em horário reduzido, das 12h às 20h. Antes com o atendimen­to por meio de vendas online e retirada dos pedidos nos estacionamentos, uma nova realidade chega para o segmento. Agora, o controle de acesso, medidas de higiene e restrições na quantidade de pessoas nas lojas, são algumas das obrigações que deverão ser seguidas. 

A reabertura dos centros de compras faz parte da fase 4.4 do Plano de Convivência com a Covid-19, do Governo de Pernambuco. Nesta etapa, as demais lojas do varejo de rua também voltam a funcionar, das 9h às 18h, horário já determinado para os estabelecimentos com até 200 metros quadrados, que retornaram na última semana. A construção civil, que estava operando com 50% da sua carga desde o dia 8, passa a funcionar com 100% do efetivo em todo o Estado. 

Os shoppings centers só não reabrirão nos 85 municípios da Zona da Mata e Agreste que ainda apresentam alta incidência da Covid-19. Na RMR, os empreendimentos retornarão as atividades com apenas 30% da sua capacidade, permitindo apenas um cliente para cada 10 metros quadrados de área de circulação. Já nas lojas, a regra é de 20 metros quadrados para cada cliente. As praças de alimentação permanecem por delivery ou retirada no local, como era feito anteriormente. As lojas seguem o protocolo do comércio de varejo de rua, que entrou em vigor na última semana. 

De acordo com a secretária executiva de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Maíra Fischer, os shoppings vão seguir um protocolo específico e as lojas, outro diferente. Ela ressalta a importância de a reabertura ser por etapas. “A ideia é fazer de forma gradual, e isso implica no funcionamento. De início vão entrar com horário diferenciado, com quantidade de pessoas controladas. O uso da máscara será obrigatório e não poderão funcionar o vallet parking, distribuição de carrinho, tudo isso para evitar contaminação. Nas lojas é preciso disponibilizar álcool em gel e seguir os protocolos do varejo”, afirmou. 

De acordo com o presidente da Associação Pernambucana de Shopping Centers (Apesce), Paulo Carneiro, o segmento adotou além do protocolo do Governo do Estado, recomendações da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce). “Foram 93 dias fechados e reabrimos com um horário reduzido nas lojas. Mas alguns departamentos, como bancos, clínicas e lotéricas, abrirão mais cedo. Adotamos um protocolo baseado no Hospital Sírio Libanês, vai haver um reforço da higiene nesse momento. Abrindo agora ainda dá pra salvar algo, é um passo e esperamos lucrar algo ainda com o São João, afinal os shoppings estão prontos para atender todos”, pontuou. 

No Shopping Recife, a expectativa é positiva e a superintendente do centro de compras, Danielle Viana, diz que as medidas são preventivas e devem ser seguidas. “A expectativa existe, afinal são 90 dias fechados. Essa volta tem que ser norteada pelas medidas de segurança, o foco é a segurança dos clientes, colaboradores, lojistas, e temos a consciência disso tudo”, disse. 

A gerente de marketing do RioMar Shopping, Denielly Halinsky, afirma que no shopping as medidas foram pensadas antes mesmo desse momento chegar. “O RioMar está preparado, estamos trabalhando nos bastidores. Para o cliente vai ser uma experiência mais segura, desde a hora que chegar no estacionamento até os corredores”, destacou. 

O Shopping Guararapes observa a reabertura antes do São João como sendo importante. “A ansiedade estava grande por nossa parte e dos lojistas, foi boa essa antecipação. Temos que seguir as regras para evitar a propagação, esperamos que o consumo seja superado”, disse o superintendente Newton Souza.  

A superintendente do Shopping Tacaruna, Sandra Arruda, afirma que o uso da máscara de forma correta será verificado como algo primordial pelo mall. “A expectativa é grande, é um ótimo recomeço. Precisamos de cautela e responsabilidade nessa nova rotina, não será um momento de abertura e de festa. Estaremos atentos à questão das máscaras e priorizando todo o protocolo”, contou. 

O Plaza Shopping adota uma novidade para essa reabertura gradual, criando um canal de comunicação com os clientes, o Plazapp, por meio do número (81) 9 9600-1133. O objetivo é gerar mais praticidade, como conta a superintendente Zuleica Lira. “Nosso objetivo foi alinhar o nosso compromisso com medidas de segurança e de higiene, que serão redobradas para garantir a saúde dos colaboradores e dos clientes”, disse. 

No Paulista North Way Shopping, o superintendente Marco Motta aponta que a divisão das quatro entradas do mall serão divididas. “O shopping possui quatro entradas, durante o retorno utilizaremos apenas três. Uma exclusiva para a Caixa Econômica Federal, e outras duas para ida e vinda do cliente. Queremos mostrar aos nossos clientes que contamos com um ambiente seguro” pontuou. 

Cuidados
A volta aos shoppings exigirá um cuidado maior por parte do consumi­dor. Especialistas apontam quais medidas de prevenção devem ser tomadas para minimizar a possibilidade de contágio pe­lo novo coronavírus. 

O infectologista da Interne Soluções em Saúde, Raphael Dos Anjos, recomenda como principal cuidado a ida ao shopping somente em caso de necessidade. “O principal conselho é só ir se for necessário. A máscara artesanal dura duas horas e, após esse tempo, deve ser trocada por uma limpa. Se for ao shopping, é bom ter uma noção de quanto tempo vai ficar e levar mais de uma máscara para trocar, se for necessário. Ao chegar em casa é bom também ter uma ‘área suja’, para higienizar os produtos e assim, guardar da forma correta”, aconselhou. 

De acordo com o médico infectologista do Hospital Universitário Oswaldo Cruz, Filipe Prohaska, é importante o cumprimento das regras pelos consumidores e pelos estabelecimentos, para que riscos sejam minimizados. “Tem todo um processo envolvido, afinal existirá um fluxo de pessoas nos locais e as informações devem ser claras para todos. A ideia é sempre minimizar os riscos, não tem como estar 100% protegido. É se prevenir usando máscara, evitar o contato com obje­tos, com estruturas metálicas, e não levar a mão ao olho”, recomendou. 

Prohaska aconselha ainda que os elevadores sejam destinados para pessoas com dificuldade de locomoção. “O elevador é um local crítico, é preciso deixar para quem precisa realmente utilizar, e a restrição nele deve ser ainda mais rígida. Esse é um momento que temos que ter paciência, pedir para que as pessoas obedeçam as informações, o distanciamento, higienização, e cobrar das lojas medidas de prevenção”. 


Protocolo da Abrasce para os shopping centers Protocolo da Abrasce para os shopping centers.

Veja também

Banco Central autoriza compras internacionais com cartão pré-pago
economia

Banco Central autoriza compras internacionais com cartão pré-pago

CNI apresenta propostas para retomada da economia
economia

CNI apresenta propostas para retomada da economia