Sinal analógico será desligado esta quarta na RMR

Com a mudança, vendas de TVs digitais e de conversores tiveram crescimento no comércio local

Consumidores aproveitaram o pagamento do FGTS inativo para comprar TVs digitaisConsumidores aproveitaram o pagamento do FGTS inativo para comprar TVs digitais - Foto: Rafael Furtado

O sinal analógico da TV será desligado esta quarta-feira (26) na Região Metropolitana do Recife. O logotipo com a letra “A” - de analógico -, inserido como “marca d’água” na programação das emissoras abertas para alertar os telespectadores sobre a transição vai desaparecer e Recife se torna a primeira região metropolitana do Nordeste a ingressar na era digital.

Além da capital pernambucana, perdem também o sinal analógico os municípios de Pernambuco: Abreu e Lima, Araçoiaba, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Igarassu, Ilha de Itamaracá, Ipojuca, Itapissuma, Jaboatão dos Guararapes, Moreno, Olinda, Paulista e São Lourenço da Mata.

No comércio, as vendas de kits conversores e TVs pós-analógicas movimentaram a rotina de lojistas, principalmente nos últimos dias. “Só tem saído conversor e antena”, diz Sérgio Henrique, gerente de um ponto comercial na Rua da Concórdia que, além desses itens, também oferta material de segurança, mas não vende televisores. “Tivemos que aumentar o estoque para atender à procura, e acho que as vendas só de conversores subiram uns 1000%. Cerca de mil chegam dos fornecedores toda semana”, completa.

Pelo comportamento da demanda, Henrique julga efetivas as ações informativas do Governo, por meio da Seja Digital, e acredita que a maioria esmagadora dos consumidores tem ciência do desligamento, esta quarta.

Quem não conseguiu ordenar estoque consistente de kits conversores, por outro lado, vê-se obrigado a encaminhar a clientela para varejos concorrentes. Napoleão Feitosa é gerente de uma loja de eletrodomésticos no Centro da Cidade, e só pôde manter os equipamentos em dia até fevereiro. “Estamos sentindo muita falta, porque a procura é grande e só tem crescido. Mas acho que a indústria não foi capaz de fornecer para todos os comerciantes. São muitos pontos de venda”, ressente.

Felizmente, a procura de televisores digitais também não decepcionou. “O pessoal está aproveitando para trocar de TV, bastante. Tivemos um acréscimo de em torno de 20% na venda dessa linha de produtos”, afirma Feitosa. A liberação do FGTS ajudou o aquecimento, disse.

Em outro varejo no Centro do Recife, o vendedor Severino da Silva, há 12 anos no setor, avalia que 70% das vendas que ele assistiu nos últimos dois meses tiveram relação com a transição para o digital. Nos dias finais, estimativa era de um crescimento adicional de 10% nas vendas. “Brasileiro deixa muito para fazer as coisas na última hora. O movimento ainda tá dando mais uma aquecida”, diz. Seu gerente, Adriano César, enxerga na procura por conversores traços de apego de parte da população aos seus televisores de “estimação”.

“Muita gente já é acostumada com o funcionamento do seu aparelho e não quer trocar”, disse. Ainda assim, a percepção geral é de que os consumidores têm usado o momento, e o saque das contas inativas do FGTS, para se atualizar com televisores mais tecnológicos.

Veja também

Juros para famílias caem ao menor nível histórico em 2020, diz BC
Economia

Juros para famílias caem ao menor nível histórico em 2020, diz BC

Custo industrial sobe 8,6% no terceiro trimestre de 2020
Economia

Custo industrial sobe 8,6% no terceiro trimestre de 2020