TCU determina retirada de dois dos 70 blocos que iriam a leilão nesta quinta

Os blocos retirados pelo TCU foram o Bacia Marítima de Santos 534 (S-M-534) e Bacia marítima de Santos (S-M-645)

Tribunal de Contas da UniãoTribunal de Contas da União - Foto: Agência Brasil

O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou nesta quarta-feira (28) que a Agência Nacional do Petróleo, Gás natural e Biocombustíveis (ANP) retire do leilão desta quinta (29) dois dos mais valiosos blocos de petróleo e gás que seriam ofertados no pregão. O Ministério de Minas e Energia, ao comunicar a decisão do TCU, informou que, no período mais curto possível, submeterá ao Conselho Nacional de Política Energética uma nova proposta para leiloar os dois blocos ainda neste ano.

Os blocos retirados foram o Bacia Marítima de Santos 534 (S-M-534) e Bacia marítima de Santos (S-M-645). O S-M-534 seria ofertado pelo bônus mínimo de assinatura de R$ 1,9 bilhão, enquanto o S-M-645 tinha bônus mínimo de assinatura R$ 1,65 bilhão.

Os dois blocos totalizavam R$ 3,55 bilhões em bônus de assinatura, quase 75% da receita total de R$ 4,8 bilhões que o governo esperava arrecadar com a licitação dos 70 blocos.

Veja também

Dívida bruta vai passar de 100% do PIB em 2025, diz Ministério da Economia
dívida pública

Dívida bruta vai passar de 100% do PIB em 2025, diz Ministério da Economia

Dólar cai nesta sexta, mas fecha mês com alta de 2,17%
BOLSA DE VALORES

Dólar cai nesta sexta, mas fecha mês com alta de 2,17%