Telefônica decide renegociar acordo bilionário com Anatel na banda larga

Com a mudança tecnológica e o ganho de protagonismo da internet, investimento que inclui instalação de orelhões, deixou de fazer sentido

OrelhãoOrelhão - Foto: Reprodução/EBC

A Telefônica anunciou no final da manhã desta sexta-feira (9) que pretende renegociar as condições de um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) bilionário que tinha acertado com a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). O acordo previa que a multinacional trocasse R$ 3,2 bilhões em multas devidas à agência por não ter feito todos os aportes em telefonia fixa previstos no contrato por investimentos na expansão da banda larga fixa.

Com a mudança tecnológica e o ganho de protagonismo da internet, esse tipo de investimento, que inclui instalação de orelhões, deixou de fazer sentido. A decisão de renegociar o TAC leva em consideração o fato de que R$ 700 milhões de multas neste valor venceram nesta semana e precisam ser retiradas do acordo, que passaria, então, a R$ 2,5 bilhões.

Leia também:
95% dos brasileiros usaram celular para acessar a web no fim de 2016, diz IBGE
Número de linhas de telefone fixo diminui 2,75% nos últimos 12 meses, diz Anatel

O acordo negociado com a Anatel dentro do TAC previa inicialmente investimentos de R$ 5,4 bilhões na expansão da banda larga fixa em 105 municípios. Segundo consta no texto do anúncio, a Telefônica irá redirecionar esses investimentos para outros projetos e reduzir o escopo de aporte previsto no TAC. Os termos do TAC foram aprovados em outubro de 2016 pelo conselho diretor da Anatel.

O acordo, porém, foi alvo de questionamentos do TCU (Tribunal de Contas da União), que julgou que ele ser desfavorável para o erário público, e de críticas de concorrentes, que apontaram que quase todas as cidades onde seriam feitos investimentos já tinham acesso à banda larga, o que levou à revisão de termos e demora na sua assinatura.

O tribunal deu decisão favorável ao acordo em setembro do ano passado.
Com isso, as tratativas voltam para o início com a perspectiva de um acordo com valor muito inferior ao previsto. As operadoras Oi, Tim e Claro também tentaram firmar um TAC com a Anatel.

Veja também

Pix terá serviço de cobrança semelhante a boleto
pix

Pix terá serviço de cobrança semelhante a boleto

Bolsa reage e volta a subir após quatro sessões de queda
BOLSA DE VALORES

Bolsa reage e volta a subir após quatro sessões de queda