Temer afirma que lei de terceirização não prejudica o trabalhador

O Banco Central revisou sua previsão para a inflação oficial de 2017 de 4,4% para 3,9%

Presidente da República, Michel TemerPresidente da República, Michel Temer - Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O presidente Michel Temer afirmou nesta segunda-feira (3) que a lei de terceirização foi sancionada por ele "sem prejudicar o trabalhador". Em evento no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, o peemedebista previu que o país encerrará o ano "muito abaixo" do centro da meta de inflação, de 4,5%.

O presidente também se confundiu e afirmou que a redução da inflação "é fundamental para os que querem investir, mas é fundamental para os mais pobres, que não sofrem os efeitos da inflação".

O Banco Central revisou sua previsão para a inflação oficial de 2017 de 4,4% para 3,9%. A medida é "importante", argumentou, porque, "há mais de 20 anos, falava-se nisso no Brasil e jamais se levava adiante".

"Dou o exemplo para relembrar a, digamos, quase ousadia que estamos tendo na condução dos negócios governativos do nosso Brasil", afirmou Temer. A Rede Sustentabilidade entrou com ação no Supremo nesta segunda contra a lei, alegando inconstitucionalidade. O partido afirmou que o projeto, enviado em 1998, pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso, não poderia ter sido aprovado uma vez que, em 2003, o então presidente Lula pediu sua retirada do Congresso.

Temer participa de evento com o rei Carlos 16 Gustavo, da Suécia, e a rainha Sílvia, para empresários de ambos os países. Nascida na Alemanha e criada no Brasil, a rainha Sílvia fala português com fluência. Ela é filha de uma brasileira e não raramente vem ao Brasil.

Veja também

Emprego cresce na indústria em um movimento atípico para dezembro
Economia

Emprego cresce na indústria em um movimento atípico para dezembro

Monitor do PIB aponta alta de 1,1% na atividade econômica em novembro
Economia

Monitor do PIB aponta alta de 1,1% na atividade econômica em novembro