Temer assina decreto que regulamenta o RenovaBio

Programa visa a estimular a cadeia de biocombustívei

EtanolEtanol - Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

O presidente Michel Temer assinou, na noite desta quarta-feira (14), decreto que regulamenta o RenovaBio, com o objetivo de estimular a cadeia de biocombustíveis. A assinatura ocorreu em Ribeirão Preto (a 313 km de São Paulo), onde o presidente participou do encerramento de conferência alusiva à abertura da safra de cana 2018/19, promovida pelo Santander em parceria com a consultoria Datagro.

Segundo Temer, o RenovaBio é um novo capítulo de uma agenda de modernização e importante para o desenvolvimento do setor. "Diria, pelo entusiasmo que vejo da plateia e dos que me cumprimentaram, dos que se manifestaram, penso que o RenovaBio, de todos os atos, será um dos mais importantes desse governo", disse Temer.

O presidente disse ainda que o agronegócio é responsável por grande peso positivo no PIB do país. "Enfrentamos momentos muito difíceis, em setores que sofreram muito. O setor de etanol, principalmente, talvez tenha sido o que mais sofreu", disse o ministro (Minas e Energia) Fernando Coelho Filho.

Leia também:
RenovaBio é incentivo aos biocombustíveis e à sustentabilidade, diz Petrobras
RenovaBio: chegou a vez do etanol


A assinatura do RenovaBio é vista pelo mercado como o início da regulamentação da política nacional de biocombustíveis. O programa foi uma das bandeiras do Ministério de Minas e Energia para estimular a cadeia de biocombustíveis, incluindo o etanol, afetados pela recessão e pela política da ex-presidente Dilma Rousseff que travou a Petrobras no reajuste de preços da gasolina. Sob Temer, o preço passou a flutuar conforme as condições no mercado internacional.

Eficiência
O programa vai representar ganhos de produtividade e eficiência, segundo Elisabeth Farina, presidente da Unica (União da Indústria de Cana-de-açúcar). "[Sua regulamentação] Vai estimular o investimento privado", disse Plinio Nastari, presidente da Datagro, durante o evento.

Entre os objetivos do projeto, alvo de intenso lobby do setor sucroenergético, estão valorizar os biocombustíveis nacionais e garantir previsibilidade de investimentos. O RenovaBio envolve duas metas, nacional (induzir a redução competitiva e eficiente da intensidade de carbono da matriz de combustíveis) e individual (distribuidoras de combustíveis deverão comprar créditos de carbono emitidos pelos produtores de biocombustíveis).

Veja também

Desemprego de trabalhador formal preocupa economistas
Economia

Desemprego de trabalhador formal preocupa economistas

Mega-Sena pode pagar neste sábado (31) prêmio de R$ 52 milhões
Loteria

Mega-Sena pode pagar neste sábado (31) prêmio de R$ 52 milhões