Temer diz pelo Twitter que empresários em Davos manifestaram confiança no país

Segundo ele, muitos dos investidores pediram a aprovação da reforma da Previdência

Michel Temer no Fórum Econômico Mundial, em DavosMichel Temer no Fórum Econômico Mundial, em Davos - Foto: Beto Barata / PR

O presidente Michel Temer disse nesta quinta-feira (25) que os investidores estrangeiros confiam nas medidas tomadas pelo Brasil. Em vídeo divulgado em sua conta no Twitter, Temer fez um balanço de sua viagem a Davos, na Suíça, por ocasião do 48º Fórum Econômico Mundial.

“Desde o discurso que fizemos no encontro com empresários, depois os vários encontros que fizemos com empresários, todos eles investidores no nosso país, e que pretendem, vieram noticiar-me, investir ainda mais. Porque confiam naquilo que o nosso país está fazendo”, disse o presidente.

Leia também:
Em Davos, Temer vende reformas e promete estabilidade após eleição
Contra vitimização de Lula, Temer pede silêncio de equipe ministerial


Segundo ele, muitos dos investidores pediram a aprovação da reforma da Previdência. “[...] Muitos deles pedindo que se aprovasse a reforma da Previdência, tendo em vista que a reforma da Previdência aumenta ainda mais a credibilidade e a confiança no nosso país”.

Temer já deixou a Suíça e está em viagem de volta para o Brasil. Ele passou dois dias em Davos. No Fórum, o presidente discursou, se reuniu com empresários e participou de um jantar em sua homenagem. A reforma da Previdência foi tema recorrente em seus pronunciamentos.

De volta a Brasília, Temer terá que trabalhar intensamente para garantir votos suficientes para aprovar a reforma. Nas contas do relator da reforma na Câmara, deputado Arthur Maia (PPS-BA), o governo tem 275 votos. Para aprovar a reforma, são necessários 308 votos.

Veja também

Ipea: Emprego deve se recuperar só após retorno da atividade econômica
trabalho

Ipea: Emprego deve se recuperar só após retorno da atividade econômica

Guedes volta a defender imposto aos moldes da CPMF como solução tributária
economia

Guedes volta a defender imposto aos moldes da CPMF como solução tributária