Temer diz pelo Twitter que empresários em Davos manifestaram confiança no país

Segundo ele, muitos dos investidores pediram a aprovação da reforma da Previdência

Michel Temer no Fórum Econômico Mundial, em DavosMichel Temer no Fórum Econômico Mundial, em Davos - Foto: Beto Barata / PR

O presidente Michel Temer disse nesta quinta-feira (25) que os investidores estrangeiros confiam nas medidas tomadas pelo Brasil. Em vídeo divulgado em sua conta no Twitter, Temer fez um balanço de sua viagem a Davos, na Suíça, por ocasião do 48º Fórum Econômico Mundial.

“Desde o discurso que fizemos no encontro com empresários, depois os vários encontros que fizemos com empresários, todos eles investidores no nosso país, e que pretendem, vieram noticiar-me, investir ainda mais. Porque confiam naquilo que o nosso país está fazendo”, disse o presidente.

Leia também:
Em Davos, Temer vende reformas e promete estabilidade após eleição
Contra vitimização de Lula, Temer pede silêncio de equipe ministerial


Segundo ele, muitos dos investidores pediram a aprovação da reforma da Previdência. “[...] Muitos deles pedindo que se aprovasse a reforma da Previdência, tendo em vista que a reforma da Previdência aumenta ainda mais a credibilidade e a confiança no nosso país”.

Temer já deixou a Suíça e está em viagem de volta para o Brasil. Ele passou dois dias em Davos. No Fórum, o presidente discursou, se reuniu com empresários e participou de um jantar em sua homenagem. A reforma da Previdência foi tema recorrente em seus pronunciamentos.

De volta a Brasília, Temer terá que trabalhar intensamente para garantir votos suficientes para aprovar a reforma. Nas contas do relator da reforma na Câmara, deputado Arthur Maia (PPS-BA), o governo tem 275 votos. Para aprovar a reforma, são necessários 308 votos.

Veja também

Economia repassa R$ 60 milhões para o Ministério do Meio Ambiente
governo

Economia repassa R$ 60 milhões para o Ministério do Meio Ambiente

Bolsa tem terceira semana seguida de alta pela 1ª vez desde julho
BOLSA DE VALORES

Bolsa tem terceira semana seguida de alta pela 1ª vez desde julho