Temer sanciona lei que dá poder a municípios para regulamentar Uber

Polêmico, o projeto foi alvo de protestos tanto de taxistas como de motoristas de aplicativos, que se aglomeraram nas galerias do plenário da Câmara dos Deputados

Usuário solicita carro do Uber em aplicativoUsuário solicita carro do Uber em aplicativo - Foto: Ben Fathers/AFP

O presidente Michel Temer (MDB) sancionou nesta segunda-feira (26) proposta que confere aos municípios do país o poder em regulamentar os serviços de transporte como Uber, Cabify e 99.

A nova lei, considerada favorável aos aplicativos e que foi sancionada sem vetos, será publicada na edição desta terça-feira (27) do "Diário Oficial da União". Na prática, a proposta não muda o que já é feito: uma regulamentação a critério do município.

Agora, no entanto, eles terão amparo legal para determinar as exigências para a oferta do serviço, como a de autorização prévia. A primeira versão do texto, defendida por empresas de táxi, estabelecia a obrigatoriedade, por exemplo, de que o motorista fosse proprietário do veículo e que utilizasse placa vermelha.

Leia também:
Uber vende suas atividades no sudeste asiático
Uber adota programa de milhagem em parceria com a Smiles da Gol


As regras, contudo, foram derrubadas pelo próprio Poder Legislativo. Polêmico, o projeto foi alvo de protestos tanto de taxistas como de motoristas de aplicativos, que se aglomeraram nas galerias do plenário da Câmara dos Deputados.

A Uber afirmou que o "texto aprovado pela Câmara ouviu a voz dos 20 milhões de usuários". "Em vez de proibir, o texto regulamenta a atividade dos motoristas parceiros e organiza critérios para os aplicativos operarem", disse. Já a Cabify considerou a redação final equilibrada. "A mobilidade urbana foi assegurada com a aprovação das emendas que retiraram diversas determinações que inviabilizam o setor", disse.

Veja também

Confiança do comércio recua 3,8 pontos em outubro, diz FGV
Economia

Confiança do comércio recua 3,8 pontos em outubro, diz FGV

Caixa paga 2ª parcela de R$ 300 da extensão do auxílio emergencial
Auxílio Emergencial

Caixa paga 2ª parcela de R$ 300 da extensão do auxílio emergencial