Economia

Tesouro desembolsou quase R$ 51 bi em combate a coronavírus

Órgão lançou ferramenta para acompanhar gastos em tempo real

Mansueto Almeida, secretário do Tesouro NacionalMansueto Almeida, secretário do Tesouro Nacional - Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Os gastos do governo federal no combate à pandemia provocada pelo novo coronavírus somaram R$ 50,78 bilhões. O montante equivale a 22,3% dos R$ 226,79 bilhões de créditos extraordinários aprovados para o enfrentamento à Covid-19.

Os números constam da ferramenta Monitoramento dos Gastos da União com Combate à Covid-19, lançada pelo Tesouro Nacional. O site será atualizado diariamente com informações sobre as despesas pagas até o dia anterior.

Até agora, os maiores valores foram destinados ao pagamento do auxílio emergencial, que consumiu R$ 27,04 bilhões do orçamento programado de R$ 98,2 bilhões. Em segundo lugar, vem a complementação do Tesouro Nacional para a linha de crédito que financiará o pagamento de salários a pequenas e médias empresas, no total de R$ 17 bilhões de um crédito extraordinário de R$ 34 bilhões.

Leia também:
BNDES estuda fundo com recursos do Tesouro e consulta Aras sobre judicialização
Brasil tem mais de duas mil mortes pela Covid-19 e bate recorde de novos casos


O governo gastou ainda R$ 5,7 bilhões para despesas adicionais do Ministério da Saúde e das demais pastas, de um total de R$ 26,95 bilhões previstos, e R$ 1,03 bilhão em ajudas aos estados e ao Distrito Federal, de um valor programado de R$ 16 bilhões. O governo gastou ainda R$ 5,7 bilhões para despesas adicionais do Ministério da Saúde e das demais pastas, de um total de R$ 26,95 bilhões previstos, e R$ 1,03 bilhão em ajudas aos estados e ao Distrito Federal, de um valor programado de R$ 16 bilhões para recompor os repasses dos Fundos de Participação dos Estados e dos Municípios.

A nova ferramenta permitirá o acompanhamento das despesas previstas nos programas anunciados para enfrentar a pandemia. Além do valor global dos gastos, o cidadão poderá verificar os desembolsos em cada programa, comparando com a verba reservada pelo crédito extraordinário.

Segundo o Tesouro Nacional, existe um intervalo entre o empenho (autorização do gasto) e o efetivo pagamento, o que explica a baixa execução em algumas ações. “Destaca-se ainda que as políticas de combate à Covid-19 têm diferentes prazos de execução para as suas despesas específicas, que podem ir até enquanto perdurar o período da calamidade”, informou o órgão.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Camex torna definitivo corte de 10% de tarifa comum do Mercosul
Mercosul

Camex torna definitivo corte de 10% de tarifa comum

Pró-Leite Pernambuco vai qualificar produtores no Sertão do Araripe
Agronegócio

Pró-Leite Pernambuco vai qualificar produtores no Sertão do Araripe