Trabalhadores lotam agências da Caixa no Recife para sacar FGTS

De acordo com a Caixa, cerca de 33 milhões de pessoas receberão o crédito automático

Agência da Caixa econômica do bairro da Encruzilhada, no primeiro dia de pagamento do FGTS.Agência da Caixa econômica do bairro da Encruzilhada, no primeiro dia de pagamento do FGTS. - Foto: Jose Britto/Folha de Pernambuco

A Caixa Econômica Federal iniciou, nesta sexta-feira (27), uma nova rodada de pagamentos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O valor, que pode ser de até R$ 500, foi liberado para os trabalhadores nascidos nos meses de maio, junho, julho e agosto.

No último dia 13, o fundo foi liberado para trabalhadores nascidos em janeiro, fevereiro, março e abril. De acordo com a Caixa, cerca de 33 milhões de pessoas receberão o crédito automático.

Nas agências da Caixa no Recife, a movimentação na manhã desta sexta-feira foi intensa. A procura pelos R$ 500 mobilizou pessoas que, no geral, buscam utilizar o dinheiro para quitar dívidas e para dar uma sobrevida nas finanças de casa.

O funcionário público Antônio Neto, 54, foi a uma agência localizada no bairro da Encruzilhada, na Zona Norte do Recife, para conferir se o valor estava disponível. Nascido em maio, Antônio conta que “metade vai pra quitar as dívidas pendentes e a outra para ajudar a comprar algumas coisas para o neto”.

Leia também:
Saque do FGTS deve passar a ser isento de tarifa de transferência bancária
Pagamento de até R$ 500 por conta do FGTS começa nesta quinta
Caixa registra 12 milhões de transações após liberação do FGTS

O vigilante Leonardo Anderson, 35, conseguiu fazer o saque e afirmou que o dinheiro é uma sobrevida em tempos de crise. “O dinheiro veio em ótima hora. Vou pagar as dívidas e o que sobrar, aproveito pra gastar no final de semana”, disse Anderson.

Entre os clientes que buscam sacar o valor disponível em conta, boa parte não está atenta ao calendário de pagamento e às regras estabelecidas pela Caixa. Foi o caso do porteiro Moisés Domingos, 53, que apesar de ter nascido no mês de maio, não conseguiu efetuar o saque por não ter uma conta na Caixa Econômica. “Estava planejando fazer umas compras para minha casa e quitar algumas dívidas, mas infelizmente só vou receber em dezembro”, afirmou Moisés.

Para os trabalhadores que não têm conta na Caixa, o calendário de saques terá início no dia 18 de outubro, para os nascidos em janeiro, e vai até 6 de março de 2020, para os nascidos em dezembro. O crédito automático para quem tem só contempla os correntistas que abriram uma conta na Caixa até o último dia 24 de julho. Simone Nunes, superintendente regional da Caixa Econômica Federal, explica que casos nos quais os dados das pessoas são incompatíveis aos cadastrados na conta também são recorrentes: “Acontece de um cliente ter conta na Caixa mas ter mudado de nome ou de endereço, nesses casos, o cliente tem que comparecer a uma agência para que a situação seja normalizada”.

A superintendente ainda afirma que há casos nos quais os clientes possuem conta corrente mas não têm poupança, por isso, o valor não é creditado automaticamente. “Nesses casos o trabalhador precisa dizer que quer o crédito na conta corrente. É preciso ir no aplicativo Caixa Trabalhador ou no site da Caixa, onde deve acessar a opção ‘saque imediato’ e colocar os dados, solicitando, assim, o crédito do valor na poupança”, complementou.

Os valores disponíveis para o saque podem ser consultados através do site da Caixa, onde serão requisitados o número do CPF (Cadastro de Pessoas Físicas), do NIS (Número de Identificação Social), do PIS (Programa de Integração Social) ou do Pasep (Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público) e a data de aniversário. As agências da Caixa em Pernambuco também contam com um esquema especial para atender a alta demanda de clientes; o horário de abertura foi antecipado para as 8h é um maior contingente de funcionários foi disponibilizado para suprir a demanda.

Veja também

Presença feminina aumenta na Ambev de Pernambuco
Fábrica

Presença feminina aumenta na Ambev de Pernambuco

Pandemia leva a queda de 66% no faturamento do turismo no Amazonas
Coronavírus

Pandemia leva a queda de 66% no faturamento do turismo no Amazonas