Três de cinco brasileiros pagam conta em agência, diz pesquisa

A pesquisa também questionou as motivações para a abertura de contas digitais: 44% responderam que é para evitar agências bancárias

CaixaCaixa - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Três em cada cinco brasileiros pagam contas em agências bancárias físicas e não pela internet, diz pesquisa da Ipsos feita a pedido do Nubank e divulgada nesta segunda-feira (28).

O levantamento diz que 50% dos clientes de 18 a 34 anos frequentaram um banco para resolver algum problema financeiro, que seja a quitação de dívida, nos últimos 30 dias. Entre cidadãos de 45 a 50 anos, a proporção sobe para 65%.

Leia também:
Brasil não destina royalties do petróleo para prevenir desastres
Governo se reunirá com linhas áreas para promover mercado brasileiro
Marinha muda do Rio para Brasília grupo que monitora manchas de óleo


Já 27% dos clientes vão a agências para solicitar novos serviços e 23% para tirar dúvidas. A maioria (62%) afirma que usa agência bancária para sacar dinheiro. A pesquisa também questionou as motivações para a abertura de contas digitais: 44% responderam que é para evitar agências bancárias. No Norte, onde 42% das cidades não têm agências, o número chega a 85%.

Para 54%, o motivo é a possibilidade de resolver tudo pelo aplicativo. A dispensa de taxa de manutenção, as TEDs mais baratas e a maior rentabilidade respondem por 49%, 44% e 30%, respectivamente. Para 28%, a abertura de uma conta digital se justifica pela curiosidade de um novo tipo serviço.

A pesquisa da Ipsos foi realizada em agosto e ouviu mil pessoas de todas as regiões. A população sondada tem de 18 a 50 anos, com renda de até R$ 30 mil, acesso à internet pelo celular e é cliente de diferentes bancos. A margem de erro é de três pontos percentuais.

Dados do Banco Central mostram que, desde 2015, as transações feitas por smartphones ultrapassam as realizadas em agências bancárias. Segundo o banco, a modalidade é a preferida entre os clientes brasileiros, o que aponta para a direção da modernização do serviços.

No ano passado, foram 29 bilhões de transferências por celular contra 8,2 bilhões em agências. Em segundo lugar, apareceu o uso de internet banking, com 21,9 bilhões de transações e crescimento de 6,3% em relação a 2017. Somadas, as transações por smartphones e internet banking representam quase 70% do total.

Veja também

Alta do sebo de boi leva fabricantes de sabonete a pedir intervenção do governo
Inflação

Alta do sebo de boi leva fabricantes de sabonete a pedir intervenção do governo

Fundos de ações são os que mais superam expectativas em dois anos
Economia

Fundos de ações são os que mais superam expectativas em dois anos