TST propõe acordo entre empregados e direção dos Correios

Vice-presidente do TST apresentou proposta de mediação que será levada para discussão dos trabalhadores nesta quinta-feira (4)

Agência dos CorreiosAgência dos Correios - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

Em uma reunião que durou mais de cinco horas, representantes dos trabalhadores dos Correios e da direção da empresa debateram nesta quarta-feira (3), no Tribunal Superior do Trabalho (TST), alternativas para encerrar a paralisação dos empregados, iniciada no dia 26 de abril. O vice-presidente do TST, ministro Emmanoel Pereira, apresentou uma proposta de mediação que inclui o desconto de dois dias de greve e a compensação dos demais dias parados. A negociação será levada para discussão em assembleias de trabalhadores nesta quinta (4).

O ministro propôs que a empresa mantenha normalmente as férias dos empregados até o fim do ano. Os Correios haviam suspendido temporariamente as férias a partir deste mês, alegando não ter recursos para o pagamento dos benefícios.

A proposta também prevê que a empresa não deve judicializar a questão da mudança na forma de pagamento dos planos de saúde até que a mediação no TST seja concluída. A implantação de novas medidas operacionais deve ser suspensa e deverá ser formado um grupo de trabalho com representantes de empregados e da empresa para discutir a questão.

Veja também

Governo estuda desoneração linear para gerar emprego
Economia

Governo estuda desoneração linear para gerar emprego

Fechamento de fábricas da Ford põe em dúvida futuro do setor no Brasil
Montadoras

Fechamento de fábricas da Ford põe em dúvida futuro do setor no Brasil