Twitter cortará até 9% dos funcionários em busca de rentabilidade

Empresa nunca registrou lucros desde sua criação, há 10 anos

Ex-presidente Lula é saudado pelos militantes na chegada ao Atlante Plaza. Opositores protestaramEx-presidente Lula é saudado pelos militantes na chegada ao Atlante Plaza. Opositores protestaram - Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

A rede social americana Twitter, alvo de muitos rumores sobre sua situação financeira, anunciou nesta quinta-feira que suprimirá 9% do número de funcionários em nível mundial, no âmbito de seus esforços para alcançar rentabilidade em 2017.

A reestruturação "se concentrará na reorganização das equipes de venda, associações e marketing", disse um comunicado do grupo, que nunca registrou lucros desde sua criação, há 10 anos.

"Nos tornaremos mais rígidos sobre o modo como investimos em nossas atividades e fixamos como objetivo conquistar rentabilidade em 2017", comentou no documento o diretor-financeiro do Twitter, Anthony Noto.

"Temos a intenção de investir plenamente em nossas prioridades absolutas, concedendo uma prioridade menor a certas iniciativas e simplificando o modo como operamos em outros setores", disse, sem informar quais iniciativas serão afetadas.

No terceiro trimestre, o volume de negócios do grupo aumentou 8%, a 616 milhões de dólares, um número superior às previsões dos analistas, que estimavam 606 milhões de dólares.

O grupo reduziu levemente sua perda líquida, a 103 milhões de dólares, contra os 132 milhões registrados no mesmo período do ano anterior, segundo a empresa.

Os cortes de pessoal alcançariam 350 empregos sobre os 3.860 funcionários que o Twitter possui atualmente em todo o mundo.

A operação de reorganização demandará um desembolso de entre 10 e 20 milhões de dólares.

Veja também

Nova gasolina se torna obrigatória em agosto e deve ser mais cara
economia

Nova gasolina se torna obrigatória em agosto e deve ser mais cara

Imposto nos moldes da CPMF terá de ser debatido 'mais cedo ou mais tarde', diz Mourão
governo

Imposto nos moldes da CPMF terá de ser debatido 'mais cedo ou mais tarde', diz Mourão