Uber vai impor uso de máscaras a motoristas e passageiros

Se houver uma violação repetida, condutores e usuários "correm o risco de perder o acesso à Uber", disse o CEO da empresa

Uso de máscaras se torna obrigatório durante viagens da UberUso de máscaras se torna obrigatório durante viagens da Uber - Foto: MARIO TAMA / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP

A Uber informou nesta quarta-feira (13) que vai impor a seus motoristas e passageiros o uso de máscaras, como parte de novas medidas para trazer confiança ao serviço de transporte em um momento em que vários países levantam as restrições à circulação de pessoas para conter o novo coronavírus.

A nova política, que entrará em vigor na segunda-feira, vai exigir que os motoristas de vários países confirmem com selfies o uso da proteção, antes de começar o trabalho.

Leia também:

Prejuízo da Uber aumenta 190% no trimestre; receita com comida cresce

Vinte mil kits com máscaras serão entregues em 200 comunidades do Recife nesta segunda 

Além disso, a Uber vai permitir que passageiros e motoristas cancelem reservas se a outra parte não estiver usando máscara.

Se houver uma violação repetida da política, condutores e usuários "correm o risco de perder o acesso à Uber", disse o CEO da empresa, Dara Khosrowshahi.

A medida será implementada até o final de junho nos Estados Unidos, Canadá, Índia e grande parte da Europa e da América Latina.

"À medida que as cidades começarem a reabrir e as pessoas começarem a se deslocar novamente, a Uber avançará com cautela e segurança", disse Khosrowshahi.

"Todos nós teremos um papel a desempenhar para nos ajudar mutuamente a permanecer saudáveis quando sairmos", acrescentou.

A notícia surge no momento em que a Uber tenta se recuperar de uma queda importante no número de passageiros como resultado da pandemia global do coronavírus e ordens de restrições em todo o mundo.

A Uber também informou que está investindo 50 milhões de dólares adicionais para comprar máscaras e produtos de desinfecção e que atualizaria seu aplicativo com uma lista de verificações de segurança e outras ferramentas para motoristas e usuários.

A empresa disse que não será mais permitido que passageiros usem os assentos dianteiros e que vai reduzir o número máximo de usuários em um veículo para três, após suspender as caronas.

Quanto ao Uber Eats, serviço de entrega, o gerente de produto da Uber, Sachin Kansal, disse em entrevista coletiva on-line que medidas semelhantes estão sendo implementadas para garantir a segurança por parte dos fornecedores de alimentos transportados pela Uber. 

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Brasil perde chance de combater sonegação via paraísos fiscais, diz secretária da OCDE
SONEGAÇÃO

Brasil perde chance de combater sonegação via paraísos fiscais, diz secretária da OCDE

Consumidor pode pagar mais R$ 3,6 bi na conta de energia para evitar apagão
CONTA DE LUZ

Consumidor pode pagar mais R$ 3,6 bi na conta de energia para evitar apagão