Um quarto dos usuários do Facebook deletou o aplicativo nos EUA

Pesquisa mostra que 1/4 dos usuários da rede social deletou ao app do smartphone no último ano

FacebookFacebook - Foto: Loic Venance / AFP

Cerca de um quarto dos usuários do Facebook nos Estados Unidos deletou o aplicativo do smartphone no último ano, mostra uma pesquisa da Pew Research Center divulgada esta semana. Além disso, mais da metade (54%) dos usuários com 18 anos ou mais afirmaram ter ajustado as configurações de privacidade nos últimos 12 meses.

Quatro de 10 usuários disseram que pararam de checar a rede social por diversas semanas; e 74% dos entrevistados responderam que tomaram uma dessas ações no último ano.

A pesquisa foi realizada entre o dia 29 de maio e 11 de junho, poucos meses após o escândalo com a consultoria Cambridge Analytica, que obteve dados de 87 milhões de usuários sem consentimento, por meio de um aplicativo que coletou dados de forma irregular.

Leia também:
Aplicativo dá transparência e dificulta abusos no Facebook
Facebook classifica usuários por confiabilidade de denúncias

Política de dados
O Facebook modificou sua política de dados e tornou as configurações de privacidade mais acessíveis aos usuários. Apesar disso, ainda sofre críticas por banir publicações políticas de conservadores nos Estados Unidos.

De acordo com o Pew Research Center, a grande maioria dos republicanos acredita que, de modo geral, as redes sociais censuram discursos do seu espectro político. Não há muita diferença, entretanto, entre republicanos e democratas. A relação com o Facebook esfriou em ambos os lados.

Entre as medidas que o Facebook adotou pós-Cambridge Analytica está a possibilidade de fazer o download de dados pessoais da plataforma. Pesquisa identificou que apenas 9% das pessoas utilizaram esse recurso. Desse grupo, 47% deletaram o aplicativo e 79% ajustaram funções de privacidade.

O grupo etário mais insatisfeito com a plataforma é jovem: 44% de americanos usuários (de 18 a 29 anos) excluíram o aplicativo do celular. Esse índice cai para 12% em pessoas com 65 ou mais.

Apesar dos números, o número de usuários ativos no país permanece estável em 185 milhões. Isso significa que as pessoas acessam a rede no computador ou no navegador do celular. No mundo, a rede social tem mais de 2,2 bilhões de usuários.

Veja também

Netflix dispara na bolsa após superar os 200 milhões de assinantes
Mercado

Netflix dispara na bolsa após superar os 200 milhões de assinantes

Privacidade e WhatsApp: em que a última atualização interfere?
Tecnologia e games

Privacidade e WhatsApp: em que a última atualização interfere?