GUERRA NA UCRÂNIA

Unilever é criticada por manter atividades na Rússia em meio a conflito na Ucrânia

A Unilever recebe críticas "por continuar presente na Federação da Rússia e pelos grandes impostos que alimentam o orçamento do Estado russo"

Unilever é criticada por manter atividades na Rússia em meio a conflito na UcrâniaUnilever é criticada por manter atividades na Rússia em meio a conflito na Ucrânia - Foto: Divulgação

A gigante dos produtos de alimentação e limpeza Unilever enfrenta críticas da Ucrânia e lida, nesta segunda-feira (3), com protestos contra sua sede, em Londres, por continuar com as operações na Rússia apesar do conflito.

A Agência Nacional de Prevenção da Corrupção na Ucrânia (NACP, na sigla em inglês) colocou a empresa na lista de "patrocinadores internacionais da guerra", de acordo com um comunicado divulgado nesta segunda.

A Unilever recebe críticas "por continuar presente na Federação da Rússia e pelos grandes impostos que alimentam o orçamento do Estado russo" e por apoiar "a guerra da Rússia contra a Ucrânia", conforme a agência destacou.

Um grupo de manifestantes ucranianos e britânicos protestaram hoje na frente da sede da multinacional, em Londres.

Desde o início da ofensiva russa contra a Ucrânia, a Unilever suspendeu "todas as importações e exportações de e para Rússia", além de cortar os gastos de publicidade no país, onde afirma não investir mais.

A multinacional foi questionada pela AFP e respondeu com um comunicado datado em fevereiro, onde explicava que, "para empresas como a Unilever, que têm presença significativa no país, sair não é tão simples".

A empresa emprega mais de 3.000 pessoas na Rússia e continua comercializando produtos fabricados no país.

A empresa diz que "entende" os apelos para encerrar suas atividades, mas não quer abandonar seus funcionários na Rússia e diz que, se o fizesse, suas operações continuariam nas mãos do Estado russo.

Segundo os resultados anuais da empresa em 2022, 2% dos seus resultados líquidos foram gerados na Rússia, em um ano em que seu lucro líquido registrou um aumento de 26%, situando-se nos 7,6 bilhões de euros (US$ 8,2 bilhões, ou R$ 39,5 bilhões na cotação atual).

Veja também

Meta e Apple discutem parceria em inteligência artificial, diz Wall Street Journal
TECNOLOGIA

Meta e Apple discutem parceria em inteligência artificial, diz Wall Street Journal

Grandes usinas solares igualam capacidade da hidrelétrica de Itaipu
energia limpa

Grandes usinas solares igualam capacidade da hidrelétrica de Itaipu

Newsletter