Economia

Vale a pena investir em um e-commerce?

Foto: Pixabay

A digitalização de negócios traz várias alternativas de empreendimentos para quem quer ganhar dinheiro com um projeto na internet. Criar e gerenciar uma loja virtual é uma dessas opções.

Ter uma loja online é uma luz no fim do túnel inclusive para quem já gerencia uma loja física, visto que nesses tempos de pandemia e distanciamento social a solução é migrar para o lado digital.

Devido a esse contexto, e também as facilidades que um empreendimento desse porte representa nos dias de hoje, vale a pena sim investir em um e-commerce.

É óbvio que, assim como qualquer investimento, os resultados positivos não vão brotar como um passe de mágica. É necessário contar com planejamento, estratégias bem definidas e as ferramentas digitais apropriadas.

Para você ficar por dentro de todos os detalhes que tornam um e-commerce um investimento válido, dê uma conferida nesse conteúdo que preparamos para você.

1 - Investimento em um e-commerce - As vantagens
2 - E-commerce - Será que são todos iguais? Conheça as diferenças
3- Saiba como criar o seu e-commerce
4 - Métricas - As suas grandes parceiras no gerenciamento do seu e-commerce

Investimento em um e-commerce – Conheça as vantagens

Vale a pena investir em um e-commerce? A resposta é sim! Essa modalidade representa nos dias de hoje a facilidade e a agilidade na hora da compra. Não é por acaso que, em março de 2021, foi detectada uma quantidade elevada de compras feitas online.

As razões para isso são várias. A desconfiança em relação às compras feitas na internet aos poucos vem sumindo. Boa parte do público já não fica com um pé atrás na hora de clicar em um produto e colocá-lo no carrinho de uma loja virtual.

A culpa disso reside nas melhorias que a tecnologia proporciona para um e-commerce, destacando a segurança e a facilidade nas transações. Também não dá para deixar de lado a necessidade das compras online.

Quando boa parte dos estabelecimentos físicos ficam de portas fechadas para evitar que o Covid-19 faça mais estragos, a solução está no e-commerce.

As vantagens que o comércio online traz para quem investe nele são várias. Conheça abaixo as principais. 

Baixo custo na fase inicial

Quem gerencia uma loja física sabe onde o sapato aperta, tem consciência de que adquirir um ponto para montar o seu empreendimento exige gastos, como, por exemplo, funcionários, a infraestrutura do local e da loja em si. 

Além, é claro, não dá para ignorar os custos com a documentação e todos os outros trâmites burocráticos.

Por outro lado, quando o assunto é o investimento em um e-commerce, a coisa muda um pouco de figura. O custo inicial para abrir o negócio não denota valores elevados.

Normalmente você vai gastar para garantir um bom serviço na internet:

hospedagem de site, 
um registro de domínio, 
e uma plataforma de e-commerce. 

São várias as plataformas para montar uma loja virtual. Entre elas estão o WordPress, Magento e Shopify.

Sempre pronta para atender

Um e-commerce, contando com os recursos adequados de hospedagem de site, fica online em tempo integral. Ele é como uma loja com as portas abertas 24h por dia, apto a receber clientes em qualquer época do ano, incluindo aí domingos e feriados.

Diante de um e-commerce o cliente pode efetuar uma compra sempre que considerar necessário. Pode ser de madrugada e, com apenas um smartphone em mãos, ele pode acessar a sua loja e adquirir um produto.

Porém, para garantir essa disponibilidade é fundamental investir em um bom serviço de hospedagem de site, capaz de fornecer para o seu negócio online o desempenho ideal para ela permanecer sempre online.

Maior alcance de clientes

As vendas online não conhecem fronteiras. Ao investir em um e-commerce o alcance das suas vendas poderá ir além do seu bairro, da sua cidade. 

Não é de se duvidar que, em alguns casos, o seu produto poderá ser comprado por alguém que reside no outro lado do Atlântico.
Porém, é sempre bom lembrar que esse alcance de novos clientes deve ser realizado com o devido planejamento, sempre levando em consideração a segmentação do público e o segmento do seu e-commerce.

Além disso, é preciso pensar também em estratégias para assegurar uma eficiente presença digital. Esse é um detalhe crucial para garantir uma melhor visibilidade do seu negócio.

Custo baixo de manutenção

Um e-commerce permite um menor custo em infraestrutura e o motivo para isso é que, assim que os produtos passam a ser vendidos, ele não exige um grande investimento para o gerenciamento do negócio.

Os gastos com a manutenção também podem ser considerados em conta, especialmente quando você comparar com os custos exigidos com o aluguel de um imóvel para a instalação de uma loja física, por exemplo.

Além do mais, como o e-commerce está em ambiente virtual, existem várias opções de estratégias de Marketing Digital, como, por exemplo, incentivar os clientes a acompanharem a sua loja nas redes sociais.

Facebook, Youtube, Instagram e outras redes sociais viabilizam a interação entre os clientes e o seu e-commerce, consolidando a fidelidade e o engajamento do cliente.

Monitoramento em tempo real

A administração de um e-commerce possibilita várias ações de Marketing Digital, uma delas consiste no monitoramento do comportamento dos clientes em tempo real. Não custa lembrar que esse monitoramento é de suma importância.

Hoje em dia, o gestor possui plenas condições de contar com várias ferramentas digitais que viabilizam uma melhor compreensão dos hábitos, das necessidades e das preferências do consumidor, proporcionando mais eficiência para as estratégias de Marketing Digital.

Graças a internet o lojista pode acompanhar e avaliar com mais precisão o perfil dos clientes. Isso é feito com dados e pesquisas que facilitam oferecer um atendimento mais personalizado.

 

E-commerce - Será que são todos iguais? Conheça as diferenças

Diante dos benefícios que o investimento traz, é preciso também entender como eles funcionam. Não basta apenas criar um comércio online e iniciar as vendas. É necessário ficar atento em relação aos objetivos do seu e-commerce.

Isso é importante, pois vai definir qual será o tipo de e-commerce que você pretende gerenciar. Todos eles são vantajosos, mas contam com algumas características distintas. Conheça algumas categorias mais comuns abaixo. 

E-commerce de infoprodutos

Em um comércio eletrônico a gente pode encontrar vários segmentos de produtos. Há e-commerces que vendem calçados, artigos de cozinha, peças de vestuário, enfim, não faltam opções.

Porém, há também e-commerces especializados na venda de produtos digitais, que são os chamados infoprodutos. O foco, nesse caso, é a venda de conteúdos. É aí que entram em cena livros digitais, audiobooks e cursos à distância.

Uma das vantagens da venda de produtos digitais reside na questão da logística e do estoque. Por se tratarem de produtos com características online, se torna mais fácil a questão de compra e venda de tais mercadorias.

Não há quantidades limitadas do que você pode vender, nem mesmo a necessidade de planejar como serão realizadas a entrega.

B2B e B2C

O e-commerce B2B, que também pode ser chamado de Business to Business, é usado por organizações que possuem como principais clientes outras empresas. 

De uma forma geral, o e-commerce B2B é conhecido por vender maquinários ou matérias-primas. Porém, em determinados casos também realiza venda de produtos já finalizados.

Já o e-commerce B2C, que é o Business to Client, é usado por empresas que vendem os produtos diretamente para os seus clientes finais. 

Normalmente, nesse tipo de comércio eletrônico você encontra produtos como calçados, produtos alimentícios, de tecnologia, móveis, em suma, vários segmentos.

E-commerce atacadista

Esse tipo de comércio eletrônico consiste em vender elevadas quantidades dos produtos oferecidos. Por causa disso, a questão da logística deve ser bem trabalhada e é necessário ter à disposição parceiros de confiança para a realização do transporte.

Em muitos casos, nesse tipo de categoria de e-commerce, o cliente tem a possibilidade de realizar a compra online para depois ser retirada diretamente, no estabelecimento físico. 

Há também o e-commerce varejista. Essa categoria, por sua vez, trabalha na venda de pequenas quantidades.

Saiba como criar o seu e-commerce

Além de ficar por dentro das diferentes categorias de e-commerce, chega a hora de saber como criar o seu. Hoje em dia, diante de ferramentas cada vez mais intuitivas, não há grandes segredos a respeito de como criar uma loja virtual.

Criar uma loja virtual há tempos deixou de ser tarefa exclusiva apenas de quem entende de linguagem e programação. Atualmente, qualquer pessoa tem condições de colocar no ar e gerenciar o seu próprio projeto online.

Por isso, para quem quer investir em um e-commerce, já pode começar seguindo esses procedimentos.

Escolha a plataforma

Assim como um estabelecimento físico precisa de uma estrutura adequada para atender os clientes, o comércio digital também. É nesse contexto que você deve contar com uma plataforma. É nela que você vai disponibilizar os produtos, determinar as formas de pagamento e atrair os seus clientes.

Uma boa plataforma de e-commerce apresenta vários recursos. Deve ser intuitiva, de fácil personalização e ter vários templates à disposição, voltados para os mais variados tipos de segmento de vendas.

Tenha um bom serviço de hospedagem de site

O que traz bons resultados e altas vendas para uma loja física é o atendimento bem feito. Cliente satisfeito é garantia de sucesso. Isso é o básico da cartilha do empreendedorismo e também serve para o comércio eletrônico.

Sobretudo, quando a gente pensa em bom atendimento no e-commerce, temos que levar em consideração a Experiência do Usuário. Em outras palavras, é preciso proporcionar para o cliente uma navegação intuitiva, com um site responsivo e bem estruturado.

Sabendo disso, é necessário também que o e-commerce carregue rapidamente as páginas e é aí que o serviço de hospedagem de site vem salvar o dia.

Uma boa hospedagem de site garante que o e-commerce permaneça online, suporta o tráfego dos clientes sem deixar o site lento e ainda traz alguns recursos que viabilizam a segurança da loja online. 

Adote um bom sistema de cobrança e pagamento

Além de produtos de qualidade os consumidores querem facilidades na hora de pagar, ainda mais se levarmos em consideração que, em tempos de pandemia, alguns consumidores estão adquirindo o hábito de efetuar compras pela internet.

Por essa razão, eles querem procedimentos simples e seguros na hora de pagar pelo produto. Hoje em dia é possível contar com sistemas de pagamento já bastante conhecidos, como o PayPal, o PagSeguro e muitos outros.

Saiba como gerenciar o estoque e a logística do seu e-commerce

Entregar o produto sem defeitos e dentro dos prazos estipulados é um dos fatores que gera engajamento com os clientes e proporciona credibilidade.

Dependendo do segmento do e-commerce, é necessário utilizar locais apropriados para armazenar os produtos, evitando que sejam danificados.

Além disso, pense também no transporte para realizar as entregas. Entre em contato com as transportadoras, faça parcerias, veja quais são as possibilidades.

Contudo, é necessário levar em conta a adaptação desse transporte ao tipo de produto que está sendo despachado pela sua loja, bem como o grau de urgência das entregas.

A parceria com transportadoras deve ser realizada baseada no volume de despachos. Desse modo é possível assegurar fretes com valores mais acessíveis. Acredite, frete baixo é uma das melhores maneiras de colocar um sorriso no rosto do consumidor.

Outro detalhe importante que deve ser lembrado é a área de cobertura da transportadora. Ela deve ser adequada com a localização dos clientes.

Disponibilize um atendimento eficiente 

Para fazer o consumidor acessar novamente o seu e-commerce e se tornar um cliente assíduo, é preciso promover um atendimento de qualidade. Essa é a lógica de uma boa gestão tanto em uma lógica física quanto no comércio eletrônico.

Cliente insatisfeito vai correndo para os braços dos concorrentes. Mas como viabilizar atendimento bem feito em um e-commerce?

A solução é apostar em canais diversos para atrair e interagir com o público. Caso estes canais não estejam à disposição, ou não tenham a eficiência esperada, em pouco tempo irão “pipocar” reclamações no Reclama Aqui. 

O resultado será a credibilidade do seu e-commerce despencando. Além do mais, uma das maneiras de promover um bom atendimento é utilizar os Chatbots, os famosos atendentes virtuais.

Por meio deles é possível sanar as dúvidas mais comuns dos clientes, relacionadas a preços, produtos e afins. Com isso, você assegura atendimento permanente em seu comércio eletrônico.

Métricas - As suas grandes parceiras no gerenciamento do seu e-commerce

Se a criação de um comércio eletrônico é fácil, o gerenciamento dele necessita de planejamento e um eficiente monitoramento. 

Dessa forma, é fundamental monitorar quais os produtos mais pedidos, qual o perfil, a origem dos clientes, em suma, tudo que pode enriquecer as suas estratégias de Marketing. Nesse sentido, existem algumas métricas essenciais que veremos agora. 

Carrinhos abandonados

Essa é considerada uma das métricas mais importantes quando o assunto é gerenciamento de um e-commerce. O monitoramento de carrinhos abandonados permite você compreender e escolher com mais segurança as estratégias utilizadas.

Se o cliente colocou o produto no carrinho e depois o retirou sem efetuar a compra, houve alguma razão para isso. Em determinadas situações o motivo para a desistência pode ser o frete ou o prazo da entrega.

Diante disso, é necessário optar por métodos que procuram saber os motivos dos consumidores abandonarem o carrinho. Vale inclusive, elaborar estratégias, como, por exemplo: enviar um agrado, estabelecer descontos, frete grátis, brindes funcionais e outros benefícios.

Avaliação dos produtos

As avaliações de produtos são dados que você obtém por meio dos próprios usuários. Isso traz informações que vem diretamente de quem mais interessa.

Por causa disso elas devem ser consideradas como um indicador relevante de engajamento dos clientes, além de proporcionar uma avaliação relevante dos níveis de qualidade do seu produto.

Além do mais, é pertinente ter em mente que você deve prestar atenção em cada avaliação publicada no seu site, blog ou rede social. 

Elas representam dados fundamentais que ajudam na tomada de decisões e ainda mostram o que está funcionando e o que deve ser alterado.

Quem entra e sai do seu e-commerce

Existem clientes que são os fregueses assíduos, porém há aqueles usuários que aparecem de vez em quando ou, em muitos casos, não retornam. Nesse caso é fundamental rever alguns pontos das suas estratégias. 

Por isso, dê uma olhada no que está impedindo o público de voltar mais vezes. Lembre-se que isso pode ser causado por vários fatores. 

Algumas razões podem ser dificuldades para o cliente realizar pagamento, navegabilidade pouco (ou nada) intuitiva e carregamento lento das páginas.

Na era digital um e-commerce é uma excelente atenção

Ter uma loja virtual é um investimento válido, pois possibilita alternativas de vendas dos mais variados produtos e serviços. Um e-commerce, nesse contexto, é uma forma de se adaptar a esses tempos cada vez mais digitalizados.

Além do mais, diante de uma pandemia, a possibilidade de comprar sem sair de casa, com apenas alguns cliques, é uma solução viável. Portanto, vale a pena sim investir em um e-commerce.

 

Veja também

Nove em cada 10 criticam novo auxílio e maioria diz faltar dinheiro para sobreviver
Auxílio Emergencial

Nove em cada 10 criticam novo auxílio e maioria diz faltar dinheiro para sobreviver

Lucro líquido do BNDES tem alta de 78% e chega a R$ 9,8 bilhões no primeiro trimestre
Balanço

Lucro líquido do BNDES tem alta de 78% e chega a R$ 9,8 bilhões no primeiro trimestre