Automóveis

Vendas de veículos superam em 7,37% o volume do 1º semestre de 2022

Acumulado do ano passado contabilizava 683.129 unidades, diz Fenabrave

733.442 unidades foram emplacadas no primeiro semestre deste ano733.442 unidades foram emplacadas no primeiro semestre deste ano - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O total de automóveis emplacados no primeiro semestre deste ano foi de 733.442 unidades, superando em 7,37% o volume da primeira metade de 2022. De acordo com balanço da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), divulgado nesta terça-feira (4), o acumulado do ano passado contabilizava 683.129 unidades desse tipo de veículo.

Quanto a essa categoria de veículo, de maio para junho deste ano, houve um aumento de 11,41%, passando 127.478 para 142.017 emplacamentos. Ao se comparar o resultado de junho deste ano com o de 2022, constata-se também um crescimento de 6,33%.

No levantamento da entidade, destacam-se duas quedas significativas, quando se confrontam dados de junho de 2022 e junho de 2023. A maior delas, de 28,86%, diz respeito a emplacamentos de caminhões. A segunda, de 21,84%, é referente aos segmentos de caminhões e ônibus.

Em movimento contrário, estão os comerciais leves e as motocicletas. Fazendo-se a mesma comparação, entre junho do ano passado e deste ano, tiveram variação positiva de 18,19% e 16,09%, respectivamente.

Para o presidente da entidade, Andreta Júnior, o incentivo do governo federal fez com que o segmento de automóveis "voltasse a bater o coração", mas é necessário se pensar medidas de forma mais ampla, para que o bom desempenho do setor se sustente. Ele disse ainda que a Fenabrave irá entregar ao governo uma proposta nesse sentido, em breve.

Veja também

Lira defende autonomia do Banco Central após crítica de Lula a Campos Neto
câmara

Lira defende autonomia do Banco Central após crítica de Lula a Campos Neto

Lula reitera que responsabilidade sobre alternativa à desoneração é de empresários e senadores
BRASIL

Lula reitera que responsabilidade sobre alternativa à desoneração é de empresários e senadores

Newsletter