A-A+

Vendas nos supermercados do país crescem 3,62% em 2019, diz Abras

A expectativa da associação para este ano é de crescimento de 3,90%

SupermercadoSupermercado - Foto: Alfeu Tavares / Folha de Pernambuco

As vendas nos supermercados do país cresceram 3,62% no ano passado, informou hoje (12) a Associação Brasileira de Supermercados (Abras). Considerando apenas o mês de dezembro, o crescimento foi 2,30% em comparação com o mesmo mês de 2018 e de 16,36% na relação com novembro.

Para o presidente da Abras, João Sanzovo Neto, o resultado foi positivo. “Ficou acima da nossa projeção inicial, de 3%. Quando falamos em vendas, todo número superior ao esperado é sempre bom”, disse.

A expectativa da associação para este ano é de crescimento de 3,90%.

Leia também:
Preço da carne cai e inflação de janeiro desacelera a 0,21%, diz IBGE
Recife tem terceira cesta básica mais cara do País


Abrasmercado
Em dezembro, o Abrasmercado, indicador que analisa os preços dos 35 produtos mais consumidos no autosserviço, registrou crescimento de 8,11% na comparação com novembro, chegando ao valor de R$ 522,35.

No último mês do ano as maiores quedas nos preços foram registradas nos itens: cebola (-8,21%), cerveja (-0,96%) e café torrado e moído (-0,77%). As maiores altas foram verificadas no tomate (20,19%), carne dianteiro - acém, cupim, paleta ou músculo (16,71%), feijão (16,23%) e carne traseiro - alcatra, filé mignon, picanha, coxão mole e patinho (15,56%).

Índice de Confiança
O otimismo dos empresários de supermercado alcançou a quarta alta consecutiva em dezembro, de acordo com o Índice de Confiança do Supermercadista. Numa escala de 0 a 100, em que acima de 50 representa otimismo, a pesquisa registrou 63,6 pontos.

Na avaliação anterior, em outubro, o índice estava em 56,6 pontos.

Veja também

Meirelles diz que gestão de Guedes não está funcionando
HENRIQUE MEIRELLES

Meirelles diz que gestão de Guedes não está funcionando

Cade decide analisar recurso sobre monopólio e trava compra de ações da BRF pela Marfrig
mercado

Cade decide analisar recurso sobre monopólio e trava compra de ações da BRF pela Marfrig