Vendas para o Dia das Mães crescem 5%

Resultado do Dia das Mães deixou o comércio estadual mais confiante; No Brasil, faturamento foi de R$?57,2 bilhões, 4% mais que o esperado

Comércio na semana que comemora o Dia das MãesComércio na semana que comemora o Dia das Mães - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

O Dia das Mães deste ano mostrou o porquê da data ser considerada a segunda melhor para o varejo brasileiro, atrás apenas do Natal. Segundo sondagem realizada pelo Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), o faturamento foi de R$ 57,2 bilhões, 4% a mais do que apurado o ano passado. Em Pernambuco, segundo a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDLs), as vendas tiveram, em média, alta de 5% em relação 2017.

Para o presidente da Federação das CDLs, Eduardo Catão, o resultado nas vendas em todo o Estado superou a expectativa. “Estávamos trabalhando com um resultado entre 4% e 4,5% de aumento nas vendas, mas tivemos retornos positivos dos lojistas em cidades como Palmares, Timbaúba, Santa Cruz do Capibaribe e Arcoverde, que indicaram um aumento médio de 5%, no aumento das vendas, o que nos deixa satisfeitos e confiantes”, disse Catão.

No Recife, o percentual de aumento para o período ficou dentro da expectativa. “Trabalhamos com a previsão de crescimento de 5%. Porém, mesmo diante dessa projeção razoável após as fracas vendas do ano passado, é sempre muito bom ter a confirmação positiva”, destaca o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas do Recife (CDL-Recife), Cid Lôbo.

Leia também:
Comércio varejista cresce 0,3% de fevereiro para março
Vendas do varejo brasileiro caem 0,2% em fevereiro, diz IBGE

Na avaliação dos economistas ouvidos pela reportagem, o resultado local e o nacional corroboram com uma tendência de evolução no retorno do consumo. “A confiança das famílias vem se recuperando nos últimos meses. O Dia das Mães é muito importante em questão de sinalização de consumo, pois é a segunda data mais importante para o varejo”, comenta o economista do Instituto Fecomércio-PE, Rafael Ramos. Para ele, o crescimento mostra que a recuperação é real e amplia o otimismo em relação ao Dia dos Namorados, São João, Dia dos Pais e Natal.

Para o economista e especialista em cenários econômicos, Tiago Monteiro, os números deste ano apontam para a inversão da curva negativa do varejo como um todo, que vinha de uma queda de -4,3% (2015) e de -6,2% (2016), mas que ainda assim, não é suficiente para indicar uma retomada de fato. “A questão é que o crescimento, mesmo positivo, ainda é bem frágil e incipiente para instigar um investimento mais robusto por parte do empresário e, ao mesmo tempo, o consumidor ainda não está à vontade com gastos mais agudos, corroborando a insegurança dos empresários”, analisa Monteiro.

Prazo

Após quatro anos consecutivos de queda nas vendas a prazo na semana do Dia das Mães, os sinais de retomada da economia e da oferta de crédito - mesmo que ainda tímidos - estimularam o brasileiro às compras este ano. De acordo com o indicador calculado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), o volume de vendas parceladas cresceu 2,86% em relação ao mesmo período do ano passado.

Veja também

TNT e SoulCode Academy oferecem cursos gratuitos de programação
Tecnologia e Games

TNT e SoulCode Academy oferecem cursos gratuitos de programação

Presidente da Caixa diz que banco terá foco total na venda de fatias de subsidiárias
Economia

Presidente da Caixa diz que banco terá foco total na venda de fatias de subsidiárias