Bora Pernambucar

Petrolina, banhada pelo São Francisco, tem pegada cosmopolita

Vista aérea de PetrolinaVista aérea de Petrolina - Foto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

A pandemia de Covid-19 tem exigido uma mudança completa no modo de planejar uma viagem. Todos os cuidados -a exemplo do uso de máscara, álcool em gel e distanciamento social- devem ser seguidos em qualquer que seja o destino escolhido. Não é tempo de se descuidar das regras sanitárias, uma vez que são fundamentais no combate ao novo coronavírus. Estamos em uma fase de restrições de viagens internacionais  e os destinos do Bora Pernambucar são opções excelentes para conhecer novos lugares, seguindo os protocolos de segurança. Então, que tal descobrir Pernambuco? Aproveite!

 

Às margens do rio São Francisco, Petrolina é um oásis em pleno Sertão pernambucano. Distante a pouco mais de 700 km do Recife, a cidade, antigamente conhecida como “passagem de Juazeiro”, por estar frente a frente com o município baiano, tem ares desenvolvidos sem se desligar das suas raízes. Fundada em 1895, preserva histórias como a origem do seu próprio nome, que, segundo a pedra de instalação do município, trata-se de uma homenagem ao Imperador D. Pedro II e sua mãe Maria Leopoldina. Mas atente: essa é apenas uma entre tantas versões!

Não faltam histórias para imaginar ou reviver nos pontos turísticos, localizados em ruas de fazer inveja a qualquer cidade grande, e nas belezas naturais desenhadas pelo Velho Chico. Água essa que possibilitou a economia girar e o terreno viver colorido de frutas, como banana, uva de mesa e manga. Na zona urbana, serviços para visitante nenhum passar apuros e conhecer a região do Vale do São Francisco com o apoio das agências de viagem e da equipada rede hoteleira.


ARTESANATO

Centro de Artes Ana das Carrancas

Quando Ana Leopoldina dos Santos saiu da cidade de Santa Filomena/PE para Petrolina, fugindo da seca na década de 1950, tinha certeza de que na nova cidade existia um rio que nunca secava. Lugar onde ela começou a confeccionar as carrancas de barro, que são esculturas colocadas na proa dos barcos para espantar os maus espíritos. O trabalho ganhou forma e logo foi reconhecido por uma peculiaridade: os olhos vazados em homenagem ao marido de Ana, que era cego. Parte desse acervo está no museu preservado por suas filhas, que reúne ateliê, lojinha e memorial com peças da artista. É parada obrigatória para quem quer uma lembrança de Petrolina carregada de amor à vida e à arte.

Onde: BR 407, 500, Massangano, Petrolina
Funcionamento: segunda a sexta, das 9h às 17h
ábado, das 14h às 17h
Informações: (87) 99919-0803
Acesso gratuito


HISTÓRIA

Museu do Sertão
A história do homem sertanejo é contada neste museu com cerca de três mil peças. Boa parte foi cedida pelo fundador Geraldo Coelho, em 1973. Tem a réplica de uma típica casa nordestina, itens que falam da fauna e flora local, objetos de navegação e comunicação, além da galeria de prefeitos da cidade.

Museu exalta a vida do homem sertanejoMuseu exalta a vida do homem sertanejo (Foto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco)

Onde: rua Esmeraldina Brandão, s/n, Centro, Petrolina
Funcionamento: terça a sábado, das 9h às 17h;
domingo, das 9h às 14h
Informações: (87) 3862-1534
Acesso gratuito

GASTRONOMIA

Rio e terra
Petrolina tem uma gastronomia democrática. Vai da culinária internacional à fartura das iguarias nordestinas. Não é de se espantar a oferta generosa de frutos do mar. A localização próxima ao rio São Francisco favorece a quantidade de peixes no cardápio. Tilápia e meca são os mais comuns. Em algumas épocas do ano, é comum encontrar piranha assada na brasa, servida de petisco. Da terra, o bode não pode ficar de fora, seja guisado, assado ou grelhado, eis um item onipresente em toda a cidade. Não à toa, origina o bodódromo, na área central, que funciona como um complexo de bares e restaurantes voltados para servir esse tipo de carne. De quebra, o bodódromo é perfeito para quem procura boemia em qualquer noite da semana.
 

Comida regional no BodódromoComida regional é o forte do Bodódromo (Foto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco)

Serviço Bodódromo
Onde: avenida São Francisco 7, Areia Branca, Petrolina

PASSEIOS

Ilha do Rodeadouro
Quem procura banho no leito do rio, essa é uma ótima pedida. A começar pelo acesso rápido, na travessia com menos de dez minutos em balsa. Na margem, os pés tocam a areia fininha, embaixo de uma água tranquila e quase dourada. Quando a fome bater, um conjunto de bares oferece pratos para todos os gostos. É a hora de pedir a comida, observando o tempo passar. Onde: entrada da Tapera até chegar no ponto de travessia do Almizão (travessia)

Ilha convida para um banho de rioIlha convida para um banho de rio (Foto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco)

 

Ilha do Massangano
Na linha do turismo de aventura, o visitante encontra terreno plano para montar uma barraca e acampar a qualquer dia da semana. Tranquilidade não falta. E imaginar que, há mais de 100 anos, acontece ali o tradicional Samba de Veio, que remete a tocadores e dançarinos da região, devidamente caracterizados para uma verdadeira expressão cultural.
Onde: entrada da Tapera até chegar no ponto de travessia do Almizão (travessia)

Balneário de Pedrinhas
Como o próprio nome adianta, essa é uma praia repleta de pequenos seixos. Mas em nada atrapalham o banho, que acontece na água mais funda do Velho Chico. De frente à Vila das Pedrinhas há um aglomerado de bares que, durante a semana, tem boa oferta para o almoço e uma rede convidando à preguiça. Aos sábados e domingos, a programação se estende e há quem aproveite o cardápio para jantar em uma das quase 20 barracas disponíveis. BR 428, Petrolina

NÃO DEIXE DE IR

Catedral do Sagrado Coração de Jesus
Não há como ficar indiferente à construção neogótica, erguida em 1929. O estilo imponente estimula o turista a tirar várias fotos de sua fachada repleta de vitrais trazidos da França. É contexto europeu em pleno Sertão, que demonstra o olhar visionário do seu criador, o religioso Dom Malan, numa época em que o turismo ainda não tinha engrenado.
Onde: praça Dom Malan, s/n, Centro, Petrolina

 

Catedral é ponto de referencia da cidadeCatedral é ponto de referencia da cidade (Foto: ARthur de Souza/Folha de Pernambuco)

Oficina do Artesão Mestre Quincas
Uma oficina no sentido literal. Assim é o espaço onde os artesãos de Petrolina podem ser vistos com a mão na massa, esculpindo, bordando ou pintando. Chance de conhecer todo o processo criativo e adquirir peças que remetem à cultura sertaneja.

Ana das Carrancas Artesanato com Ana das Carrancas (Foto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco)



Onde: avenida Cardoso de Sá, s/n, Vila Eduardo, Petrolina
Acesso gratuito

Orla
Um dos pontos mais agradáveis de Petrolina é para quem gosta de caminhada ou passeio de bike com direito a várias pausas pelo caminho. Isso porque não faltam opções de lugar para comer e beber apreciando o rio São Francisco.

EVENTOS*

Carnaval
No começo do ano, o Carnaval de Petrolina se mostra multicultural. Fortalece a identidade pernambucana e dialoga com as africanidades da cultura baiana.

São João
O festejo acontece durante todo o mês de junho com programação de quadrilhas, atrações musicais e comidas típicas em diversas partes da cidade.

Festival dos Violeiros do Vale do São Francisco
Seja morador ou turista, todo mundo se reúne no mês de junho, dentro das festividades juninas, para assistir aos melhores repentistas da atualidade. Eles expressam como ninguém a vida cotidiana do nordestino.

Missa do Vaqueiro
Por homenagear a cultura sertaneja, o evento atrai turistas de todas as partes. Acontece no mês de junho e reúne pelo menos três mil vaqueiros em missa ao ar livre. 

*Por causa da pandemia de Covid-19, os eventos foram suspensos

 

Hospedagem
JB Hotel
Onde: rua Olímpio Virgílio, 88, Centro, Petrolina
Informações: (87) 2101-3777
Hotel Grande Rio
Onde: avenida das Nações, 02, Centro, Petrolina
Informações: (87) 3866-8050
Nobile Hotel
Onde: avenida Cardoso de Sá, 215, Orla 2, Lote 04, Petrolina