Ensino Fundamental

Educação Municipal do Cabo se destaca no índice Ideb 2021

O resultado revelou uma melhora na aprendizagem de estudantes do 5º ano e 9º ano da rede municipal

Escolas do Cabo adotaram medidas para ampliar a frequência escolar dos alunosEscolas do Cabo adotaram medidas para ampliar a frequência escolar dos alunos - Foto: Divulgação/Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho

O período da pandemia exigiu um grande esforço da rede educacional da Região Metropolitana do Recife (RMR), seja no âmbito público ou privado, para continuar oferecendo um serviço para as crianças e adolescentes. Apesar da rápida aplicação do modelo remoto, a cidade do Cabo de Santo Agostinho apresentou uma evolução no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), em meio ao cenário pandêmico. 

Divulgado neste mês de setembro, o IDEB é responsável por avaliar o fluxo escolar e as médias de desempenho das instituições de ensino no território nacional. O processo foi criado no ano de 2007 pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e representa o principal indicador de qualidade da educação brasileira. 

O processo é calculado a partir de dois pilares centrais: o rendimento escolar, indicado pela taxa de aprovação das escolas, e o desempenho dos alunos em testes aplicados pelo Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) a cada dois anos. As matérias avaliadas são português e matemática, com uma pontuação de zero a dez. Esse resultado é multiplicado pela taxa de aprovação através de uma fórmula matemática. O resultado é uma escala de zero a dez, que representa o rendimento das escolas. 

A aferição é feita com alunos tanto nos anos iniciais do Ensino Fundamental, com turmas de 5º ano, quanto nos finais, avaliando os 9º anos, além dos estudantes nos terceiros anos do Ensino Médio. Antes desta edição de 2021, a última aplicação foi no ano de 2019, no início da pandemia da Covid-19. 

Nos anos iniciais, no período 2019 e 2021, a nota do IDEB das escolas municipais do Cabo foi de 4,9 para 5,0, um crescimento de 0,1%. A cidade ocupa o quarto lugar no ranking da Região Metropolitana do Recife, subindo seis posições. Este resultado representa um aumento na aprendizagem dos estudantes, mesmo em meio ao ensino remoto. 

“Se você considera que vivenciamos dois anos de pandemia e os alunos não tiveram aulas presenciais, o nosso resultado foi muito positivo. Nós saímos de uma posição ruim da parte de baixo da tabela e estamos entre as primeiras colocações, tanto nos anos finais e iniciais”, comemorou o secretário de educação do Cabo de Santo Agostinho, Betinho Gomes. 

Quando avaliada apenas os anos finais, através dos estudantes do 9º ano, o crescimento é superior. No mesmo intervalo entre as duas edições da aferição,  a nota do IDEB do Cabo foi de 4,1 para 4,7, um avanço de 0,6. Nesta categoria, o município pulou de nono colocado no ranking para o quarto melhor avaliado na RMR. De acordo com dados da secretaria, atualmente são aproximadamente 32 mil alunos divididos em quase cem escolas no município.

O avanço também pode refletir em um aumento na verba de educação disponível para o Cabo de Santo Agostinho através do Novo Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundep). De acordo com o novo critério, 2,5 % de seus fundos totais serão divididos para as escolas que apresentarem melhorias na aprendizagem e redução das desigualdades até 2026.

Estratégias e programas 

“É importante entender o porquê isso aconteceu. Quando começamos os trabalhos na Secretaria de Educação, entendemos que algumas estratégias educacionais teriam que ser implementadas em meio a pandemia” , pontuou o secretário Betinho Gomes. “Conseguimos fazer com que as escolas se envolvessem nessa mobilização e proporcionaram uma presença muito grande nas avaliações”. 

“Criamos uma ação voltada para alimentação escolar, através de um cartão de alimentação, que também ajudou a aumentar a frequência dos alunos”, comentou. A iniciativa da Secretaria Municipal de Educação foi desenvolvida para evitar a evasão estudantil no período pandêmico, problema vivenciado pela maioria das instituições de ensino no território nacional. Caso o aluno participasse de 70% das aulas remotas, ele teria direito a receber um cartão alimentação. 

Para evitar que a queda no nível de aprendizagem dos estudantes em meio as aulas virtuais, foram distribuídos mais de 30 mil cadernos de atividades nas escolas do Cabo. O material era coletado pelos pais dos estudantes nas escolas e utilizado pelos professores no período remoto e para um melhor acompanhamento nas matérias. 

Além destes, houve outra iniciativa que fez a diferença na melhora no ranking do IDEB, o programa Aprova Cabo, desenvolvido em setembro de 2021. Com o objetivo primário de aumentar o ingresso dos estudantes em Escolas Técnicas Estaduais e Institutos Federais de Educação, foram oferecidas aulas de reforço de português e matemática durante oito semanas, aos sábados.