Mercado de trabalho

Crescimento dos jogos digitais como uma carreira

Além de ter um destaque nos canais esportivos, o eSports podem servir como um facilitador da entrada para a universidade

Através do eSports, Pedro Estevam conseguiu uma bolsa-atleta na UninassauAtravés do eSports, Pedro Estevam conseguiu uma bolsa-atleta na Uninassau - Foto: Ed Machado/ Folha de Pernambuco

A chegada de uma nova geração de profissionais, já adaptada aos meios digitais, traz consigo nichos inusitados no mercado de trabalho e educacional. O cenário do eSports, competições de jogos eletrônicos,  está cada vez mais fixo no cotidiano brasileiro, tornando-se o sonho de carreira de vários jovens em formação em instituições de ensino no território nacional. 

Segundo pesquisas da agência Newzoo, considerada referência em análises na área de esportes eletrônicos, a projeção é de que a área fature cerca de R$ 8,2 bilhões até o ano de 2024. A principal rentabilidade para os atletas vem de patrocinadores e torneios, acumulando premiações que alcançam a casa dos milhares de reais.

“Eu já jogava Counter Strike (CS) por hobby. Comecei jogando com amigos e me interessei a jogar profissionalmente, foi quando tive oportunidade de ganhar a bolsa pela Uninassau. Tenho a pretensão de continuar profissionalmente, conheço algumas pessoas no mercado e quero me envolver ainda mais com o cenário”, revelou Pedro Estevam, de 20 anos, atleta profissional de Counter Strike. 

A Uninassau Recife, instituição pertencente ao Grupo Ser Educacional, começou a investir na modalidade em meados de 2020, com o objetivo de trabalhar diferentes competências nos alunos, como cooperação, liderança e resolução de problemas, através dos jogos eletrônicos. 

No Recife, a instituição conta com 23 atletas, presentes em quatro modalidades: Counter Strike, Crash Royale, Fifa e League of Legends. “Jogamos tanto no cenário pernambucano quanto no brasileiro. De manhã, estudamos, e de tarde realizamos os treinamentos, reuniões e planejamentos da equipe. Todo mundo aqui é bem unido, temos uma amizade fora do jogo, os cinco, e conversamos bastante”, finalizou Pedro. 

Entre os serviços disponíveis para os atletas na universidade está o acompanhamento psicológico, clínicas de fisioterapia, nutrição e odontologia, e acessos à academia. Além disso, técnicos profissionais, com destaque nacional, atuam diretamente com as equipes. Os integrantes do projeto recebem bolsa 100% para estudarem no campus.