ENEM

Entenda como a felicidade pode ser fator importante no processo de aprendizagem do estudante

Relações entre saúde mental e aprendizagem e do estudante estão cada vez mais próximas e afetam desempenho

Foto: Suami Dias/GOVBA

Com apenas dois meses para o Enem, é natural que o nervosismo e a ansiedade aumentem para muitos estudantes. O processo de preparação é extenso e fatores externos à prova podem causar ainda mais pressão, intensificando a formação de um obstáculo. Eis a importância da busca ou da manutenção da saúde mental durante esse processo. Na reta final de preparação, uma cabeça cheia pode atrapalhar a aprendizagem e, consequentemente, dificultar a absorção dos conteúdos estudados e afetar o desempenho nas provas. 

Entre as conhecidas pressões vividas por quem se prepara para o Enem está o tempo. É nele que nos referenciamos para o planejamento de estudo, mas também pode ser a data marcada no calendário, indicando o dia da prova, ou apenas os horários do dia a dia e a dificuldade de encaixar as horas para estudar na semana. Inevitavelmente, por conta do tempo e suas variáveis, o estudante se vê, por vezes, estressado ou sem saber como se portar diante dessas pressões e expectativas. 

Mas, para além do tempo, o simples fato de o exame significar, simbolicamente, a transição para uma nova etapa da vida, já traz pressão suficiente em se tratando de adolescentes, maior parcela dos inscritos no Enem. Segundo a psicóloga Luana Farias, para entender o processo de preparação de um estudante adolescente para uma prova como o Enem, é preciso observar o contexto da idade e as pressões que esse período traz para o indivíduo. 

"O aluno pré-vestibulando é antes de tudo um indivíduo cheio de sonhos, conquistas, descobertas e dificuldades. É bem comum pensar neste como um ser com a obrigação de saber tomar decisões, estas que impactarão fortemente a história de sua vida", diz a psicóloga.

Luana segue, destacando que as pressões da definição de um futuro, e a responsabilidade de fazer uma escolha que impacta nos anos seguintes, também devem ser levadas em conta, pois podem gerar ansiedade no vestibulando. 

"Nesta fase da vida, o aluno pré-vestibulando convive com todos os aspectos preexistentes da ansiedade, os quais são intensificados pela responsabilidade de uma escolha a ser feita e de todo o processo avaliativo decorrente dela: o vestibular", analisa.

Escape das pressões

Para a estudante Maria Fernanda, de 17 anos, o nervosismo pela aproximação da prova resulta em vários complicadores que surgem em paralelo durante a reta final de preparação. No entanto, ela elenca alguns momentos que funcionaram como escape das pressões do período pré-Enem e resultaram em uma melhora da absorção do conteúdo das aulas. 

"Eu sou muito ansiosa por vida, e o desespero vai aumentando quando vai chegando perto de algo importante, como o Enem. Como esse momento é de muita pressão, isso acaba dificultando o aprendizado às vezes. Estava participando de umas aulas em que a professora era mais divertida, tornava a aula mais leve, e quanto mais brincadeiras tinham na aula, mais do conteúdo eu conseguia fixar. Também tenho encontros frequentes com a equipe pedagógica do meu colégio, que tem me ajudado muito", afirmou.

"Central da Felicidade"

Todos esses problemas ficaram ainda mais intensos com a pandemia da Covid-19 e a necessidade do confinamento. Consequentemente, as alternativas ficaram limitadas à internet e ao ensino remoto. Apesar das facilidades propostas pelos modelos virtuais de ensino, a experiência se tornou cada vez mais solitária e individual, gerando ainda mais estresse para os vestibulandos. 

Visando atenuar esses problemas, Rhayann Vasconcelos, criador da plataforma Acelere no ENEM, desenvolveu a "Central da Felicidade", um mecanismo de apoio aos alunos, oferecendo atendimento psicológico gratuito dentro do sistema, com profissionais da área de psicologia.

"Os problemas psicológicos ainda são um tabu na sociedade. No entanto, como bem relatam as pesquisas, os jovens estão cada vez mais suscetíveis a sofrê-los. A pandemia acelerou esse processo. Por isso criamos a Central da Felicidade, espaço onde o estudante pode receber esse apoio, tornando a sua trajetória de preparação mais leve e produtiva", avalia Rhayann. 

Para participar, os estudantes devem acessar o site do Acelere, relatar, através de formulário eletrônico, os problemas que vem enfrentando e, logo depois, receberá contato de um profissional.