Enem 2021

Saiba como as listas de exercícios ajudam na preparação para o Enem

Responder questões ajuda na fixação do conteúdo

EstudantesEstudantes - Foto: Reprodução/ Pixabay

Na fase de preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), vestibulares ou mesmo uma prova do colégio, o estudante vai descobrindo várias formas de estudar. Uma das ferramentas de ensino e aprendizagem que costuma ser bastante utilizada é a famosa lista de exercícios, que ajuda na fixação e na aplicação dos conteúdos estudados.

De acordo com o diretor de Ensino e Inovações Educacionais do SAS, Ademar Celedônio, responder questões sobre o conteúdo é uma forma de praticar e é com a prática que o aluno pode se apropriar do modo que o Enem, e demais vestibulares, cobra esses assuntos.

"Os exercícios podem ser introduzidos seguindo os níveis de complexidade. Primeiro os fáceis, depois os médios e por fim os mais difíceis ou trabalhosos", recomenda Celedônio. "Uma boa dica é utilizar questões de edições anteriores do próprio Enem e de vestibulares, como uma forma de treinar", emendou.

Para a estudante do terceiro ano do Ensino Médio Eduarda Magalhães, 16, responder exercícios melhorou o desempenho dela na escola, tornando-a mais confiante para os processos seletivos. “Eu gosto muito de ler, então meu método de estudo consiste basicamente na leitura do conteúdo, mas nas disciplinas de cálculo, principalmente, se você não praticar, você acaba esquecendo mais fácil”, comenta Eduarda.

A aluna conta que suas notas nas disciplinas de matemática e física aumentaram bastante quando ela passou a se preparar para as provas respondendo exercícios. “Passei a responder às questões e me sentia mais confiante para as provas”, relata. Mas Eduarda ressalta que, além de praticar, é preciso sempre corrigir as questões respondidas. “É importante corrigir para ver se você está errando e entender onde está errando. Se não corrigir e errar, você vai somente ficar repetindo o erro, e isso não ajuda em nada”, complementa.

Praticando da maneira correta

Para tornar o hábito mais eficiente, existem métodos que aprimoram a prática, como cronometrar o tempo que você se dedica a cada questão, por exemplo. “Cronometrar o tempo é importantíssimo, uma vez que no dia da prova o aluno não pode usar relógio e só tem acesso ao controle de hora em hora apresentado pelo fiscal. O ideal é que o aluno faça 20 questões por hora, levando em conta que a média para fazer cada questão e marcar a resposta deve ser de 3 minutos”, exemplifica Ademar.

Celedônio pontua ainda que, para o Enem, acertar as questões fáceis, médias e difíceis, nessa ordem, dá mais pontos do que acertar só as questões difíceis. Então, é importante estudar o que mais cai de cada disciplina, focando primeiro nas questões fáceis e médias, o que mostra uma boa coerência pedagógica, que é mais importante para o Enem. 

“Dentro dos conteúdos mais relevantes e que mais caem na prova, o ideal é conseguir fazer as questões mais fáceis, depois tentar resolver as médias e, no final, as mais trabalhosas.  Em matemática, por exemplo, os assuntos mais recorrentes são porcentagem, regra de três, juros. Então, praticar questões dos três níveis dos assuntos que mais caem é um bom caminho”, finaliza o especialista.

Saiba como praticar o que você estudou

Veja também

Caminho para o Ensino Superior: saiba o que vem depois do EnemEnem 2021

Caminho para o Ensino Superior: saiba o que vem depois do Enem

Em reaplicação do Enem 2021, 67% dos inscritos faltaram à provaEducação

Em reaplicação do Enem 2021, 67% dos inscritos faltaram à prova