Folha Saúde

Hospital da Visão de Pernambuco (HVisão) destaca precisão do laser para cirurgias oftalmológicas

As cirurgias oftalmológicas se tornaram rápidas e eficazes com o avanço tecnológico, afirma o diretor médico e sócio-fundador do Hospital da Visão de Pernambuco (HVisão), João Luís Vilaça

João Luís Vilaça, oftalmologista do HVisãoJoão Luís Vilaça, oftalmologista do HVisão - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Nos últimos anos, os avanços tecnológicos na cirurgia em oftalmologia têm possibilitado resultados espantosos. Primeira especialidade médica a utilizar o laser com o objetivo terapêutico, a oftalmologia segue como uma área em constante evolução, graças a pesquisas realizadas nos maiores centros do mundo. É sem dúvida a que mais avançou nas duas últimas décadas. Problemas que antes pareciam irreversíveis, podem agora ser solucionados com precisão.


“As cirurgias oftamológicas, hoje, são extremamente rápidas. Tanto em relação ao procedimento em si, quanto à recuperação”, atesta o oftalmologista João Luís Vilaça, diretor médico e sócio-fundador do Hospital da Visão de Pernambuco (HVisão). “São feitas através de microincisões, iguais a dois milímetros, que permitem uma cicatrização ágil e segura, a fim de evitar riscos de contaminação ou infecção ocular”. Os novos colírios antibióticos mais potentes também contribuem para afastar qualquer surpresa desagradável.

Para se ter uma ideia do processo evolutivo, na década de 1990 uma cirurgia de catarata durava cerca de uma hora. E ainda era preciso fazer sutura. Atualmente, ela é concluída entre 10 e 15 minutos. Por conta do tempo de procedimento ser bem mais curto, o paciente sofre menos trauma cirúrgico, o que proporciona uma recuperação mais tranquila.

Cirurgias de catarata

Entre os equipamentos mais modernos disponíveis no HVisão, o oftalmologista destaca o Laser Catalys, da Johnson & Johnson Vision, utilizado exatamente para cirurgias de catarata. “Ele nos ajuda a tornar a intervenção mais segura e mais reprodutível. Esse laser faz as incisões, ajuda a quebrar a catarata em pedaços com mais exatidão e, consequentemente, menos chance de complicações transoperatórias”.

Centro médico dispõe de equipamentos modernos e menos invasivos - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

A mesma eficácia vale para os novos lasers para cirurgias refrativas (correção de grau), cada vez mais seguros em relação à precisão de resultados. Para as cirurgias de glaucoma, dr. João Luís recomenda o Laser Cyclo G6. “O laser permite que se faça um procedimento não invasivo, sem cortes, ao contrário do método tradicional, a trabeculectomia, utilizando bisturi, com resultados muitas vezes não significativos”, explica. “Quem poderia pensar, anos atrás, que seria possível baixar a pressão ocular sem invadir o olho, através de um laser? Ou corrigir o grau do paciente, seja por miopia, hipermetropia ou astigmatismo, com uma extrema precisão?”.

E os avanços, claro, não param por aí. O aperfeiçoamento de novas técnicas é uma constante na área de oftalmologia, afinal de contas fatores como envelhecimento, hábitos inadequados, uso excessivo de telas de computadores e smartphones, tudo isso só faz aumentar o número de pessoas com problemas de visão no país. A tecnologia, no entanto, está pronta para reverter qualquer desses quadros praticamente num piscar de olhos.

Medidas preventivas aumentam no verão

É claro que, com a chegada do verão, os cuidados com a visão devem ser mais que redobrados. Terçol, blefarite, conjuntivite e ressecamento das córneas são apenas alguns dos problemas que podem afetar a saúde dos olhos durante a estação. Por isso, é necessário tomar medidas preventivas. “Quando falamos da saúde ocular no verão, sabemos que os nossos olhos são mais expostos às praias, piscinas, areia e vento. Sem falar que, nesse período, há uma maior aglomeração de pessoas”, observa o oftalmologista João Luís Vilaça, diretor médico e sócio-fundador do Hospital da Visão de Pernambuco (HVisão).

O primeiro alerta é usar óculos de sol de boa qualidade, que - além de servirem como escudo para o vento e a areia - protegem contra os raios UVA e UVB, nocivos à visão. Também é importante tomar cuidado com o banho de mar e piscina. “Não abra os olhos na água, pois o excesso de cloro e sal podem irritar os olhos, além da possibilidade de microorganismos como bactérias e vírus levarem a conjuntivites. É sempre recomendável uma ducha de água corrente após esses banhos”, alerta dr. João. E acrescenta: “É bom evitar lentes de contato e, se necessário, usar lubrificante ocular em caso de irritação”.

O uso de protetor solar é essencial, mas não se deve aplicar em excesso próximo à região dos olhos, pois o contato com o produto pode provocar irritação e alergias. O mesmo serve para os cremes para o cabelo.  Procure também ter sempre à mão uma proteção adicional contra os raios solares. Viseiras, bonés e chapéus podem não apenas bloqueá-los, mas também deixam o look praieiro mais estiloso. “Evite ainda coçar os olhos para não levar nenhum microorganismo ou produto aos olhos. Ao invés disto, lave sempre o rosto com água gelada após higienizar as mãos”, frisa o oftalmologista.

De resto, a ordem é ficar de olhos bem abertos e saudáveis para apreciar as belezas da estação mais quente, e charmosa, do ano.