A chance do "caçula" se firmar no comando

Mais jovens entre os técnicos das duas principais divisões do futebol brasileiro tem seu grande teste este ano

Daniel ganhou oportunidade de começar uma temporada pelo LeãoDaniel ganhou oportunidade de começar uma temporada pelo Leão - Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

Treinador mais jovem dos times que irão disputar os brasileiros das Séries A e B, Daniel Paulista possui em mãos o grande teste da sua carreira. Após assumir o Sport nas últimas oito rodadas do Brasileirão do ano passado, ele conseguiu salvar o clube do rebaixamento na última rodada, na vitória por 2x0 diante do Figueirense, mas acabou dividindo algumas opiniões na Praça da Bandeira. Tanto que a diretoria chegou a conversar com Ney Franco e Adilson Batista, mas acabou optando por manter e apostar em Daniel para o cargo de comandante da equipe. Com apenas 34 anos, ele terá a missão de dirigir o time com maior orçamento financeiro previsto para 2017 no Nordeste, ao lado do Bahia, com cerca de R$ 100 milhões em receita nos próximos 12 meses. E mesmo novato na função, é possível enxergar o perfil do ex-auxiliar armando suas equipes.

Adepto do estilo adotado por Eduardo Baptista, de quem era assistente, Daniel Paulista gosta de atuar no 4-2-3-1 com a posse da bola, tendo Diego Souza como um falso segundo atacante boa parte do tempo, com o meia cada vez mais atuando próximo ao gol. Já sem a posse, ele recolhe o desenho para 4-4-2. Com essas duas linhas de quatro servindo como barreiras, os pontas voltam para se alinhar com os volantes, com Rogério e Everton Felipe fazendo esta função neste começo de temporada. Apenas Diego Souza e o atacante de referência liberados dessa incumbência, com os dois retornando apenas até o meia de campo na maioria das situações. Nesta etapa inicial de temporada, Leandro Pereira deverá ser o "parceiro" de DS87. Com muita intensidade na questão defensiva, Daniel prefere apostar no poder de marcação dos laterais do que liberá-los a todo o momento, como acontecia com Oswaldo de Oliveira, por exemplo, que optour pelo meia Rodney Wallace na função que hoje voltou a ser de Renê.

E nesses primeiros dias de temporada o treinador praticamente não trabalhou com os seus comandados. Pelo menos não na questão "campo". Como as prioridades ainda são as partes clinicas e físicas dos jogadores, a previsão do próprio treinador é que apenas a partir de amanhã ele consiga trabalhar para montar o time que irá encarar o The Strongest, neste domingo, na Arena Pernambuco. Na verdade, os times. De acordo com Daniel Paulista, a ideia é utilizar duas equipes diante dos bolivianos e assim testar o maior número de peças neste primeiro desafio do ano pela Taça Ariano Suassuna. "A partir de quarta-feira (amanhã) eu já começo a esboçar um time. Faremos trabalhos táticos, de posicionamento, jogadas ensaiadas e tudo que pudermos nos treinos até o jogo. Entraremos para vencer, como sempre, mas é bom lembrar que é um jogo preparatório", comentou o treinador.

RODNEY
O Sport anunciou que irá notificar nos próximos dias o meia Rodney Wallace por abandono de trabalho, caso ele não se reapresenta. O atleta confirmou, através de um e-mail, para os dirigentes leoninos que não pretende mais voltar ao Recife. O problema é que ele tem contrato até final deste ano com o Sport e precisa pagar uma multa de R$ 680 mil para ser liberado. Os rubro-negros já avisaram que irão até o fim para garantir os seus direitos.

Veja também

Martelotte culpa desatenção por empate contra o Itabaiana-SE e mira decisão no Arruda
Santa Cruz

Martelotte culpa desatenção por empate contra o Itabaiana-SE e mira decisão no Arruda

Anderson, protagonista da melhora defensiva do Náutico
Futebol

Anderson, protagonista da melhora defensiva do Náutico