A luz no fim do túnel para fugir da degola

Busca pela classificação na Sul-Americana serve como inspiração para o Tricolor continuar acreditando na fuga da Z4

A Glória e a GraçaA Glória e a Graça - Foto: Divulgação

 

A situação do Santa Cruz na Série A do Campeonato Brasileiro é delicada. Não chega a ser um absurdo acreditar que o rebaixamento da equipe já é um fato consumado. Os números do time na competição estão aí para sustentar tal pensamento. Mas, pelas bandas do Arruda, o discurso de confiança segue intocável. E um exemplo recente contribui para esta postura: a partida contra o Independiente Medellín, na última quarta-feira. Apesar de a classificação não ter sido alcançada na Copa Sul-Americana, a luta coral na busca do resultado que lhe favorecia surgiu como luz no fim do túnel.
Apenas uma diferença de três gols se fazia necessária para que o Santa Cruz conseguisse chegar às quartas de final da Sul-Americana. E todos esses tentos aconteceram. Ponto para a postura agressiva da equipe em campo e para a noite inspirada do centroavante Grafite. “A desclassifição na Sul-Americana foi dolorosa. Mas nossa atuação prova que a gente pode sair da zona de rebaixamento na Série A. É uma situação delicada, mas a gente tem condições de reverter esse quadro. Ainda estamos com esperanças de ficar na Série A“, disse o jogador.
De fato, a comparação soa meio injusta. Afinal, para conseguir a classificação na Sul-Americana, uma partida era necessária. A permanência na Série A, no entanto, exige do Santa Cruz pelo menos mais sete vitórias e dois empates em 11 partidas. A chance de rebaixamento chega a 95%. “Ainda temos chances e por isso não vamos desistir.

Precisamos lutar. É difícil pensar no próximo ano, pois ainda tem jogo. Quase ninguém acrediva que poderíamos marcar três gols. Ficamos muito perto da classificação na Sula. Não faltou empenho e, por isso, ainda há esperança”.
Para a partida contra o Palmeiras, na próxima segunda-feira, o Santa Cruz poderá ter problemas nas duas laterais do campo. Uma já é confirmada. Léo Moura levou o terceiro cartão amarelo no jogo diante do Figueirense e terá que cumprir suspensão automática. Uma possibilidade que surge é a reaparição de Vítor. O jogador está treinando normalmente desde a última segunda-feira com o elenco após se recuperar de uma lesão na panturrilha direita. A última partida de Vítor foi na derrota para o Vasco da Gama/RJ pelo placar de 3x2, no jogo de volta da 3ª fase da Copa do Brasil, no dia 20 de julho. São mais de dois meses sem jogar uma partida oficial.

Em relação à lateral esquerda, na reapresentação da equipe, ontem, Allan Vieira foi poupado pela comissão técnica tricolor. O jogador acabou substituído do confronto da última quarta-feira após sofrer com uma contusão. Segundo o Departamento Médico, o atleta sentiu um desconforto na musculatura posterior da coxa esquerda. Também foram poupados o zagueiro Luan Peres e o volante Wellington Cézar.

 

Veja também

Tribunal desportivo autoriza Flamengo a transmitir final da Taça Rio
Campeonato Carioca

Tribunal desportivo autoriza Flamengo a transmitir final da Taça Rio

Barcelona vence dérbi com duas expulsões e VAR
Futebol

Barcelona vence dérbi com duas expulsões e VAR