A maior tragédia do jornalismo brasileiro

Acidente também atingiu a crônica esportiva. Dos 21 profissionais que estavam no avião, apenas um sobreviveu

Presidente eleito indicará até 50 assessores para integrar a equipe de transiçãoPresidente eleito indicará até 50 assessores para integrar a equipe de transição - Foto: Carl de Souza/AFP

 

Microfones foram repentinamente silenciados. Textos acabaram ficando pela metade. O silêncio pairou nas redações. Aos profissionais do jornalismo, tão acostumados a lidar com as palavras, faltou o que dizer. A queda do avião que levava a delegação da Chapecoense para disputar o primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana, ontem, além de ser a maior tragédia do esporte, foi a maior do periodismo brasileiro.

A bordo da aeronave, estavam 21 profissionais da Imprensa. O único sobrevivente foi o narrador de rádio Rafael Henzel, de 43 anos, da Rádio Oeste Capital, de Santa Catarina.
Na aeronave, estavam os repórteres da TV Globo, Guilherme Marques, o produtor Guilherme Van Der Laars e o cinegrafista Ari Jr; pela FOX Sports estavam o comentarista Paulo Julio Clement e os jornalistas Rodrigo Gonçalves e Lilacio Pereira Jr; afiliada da Rede Globo na região Sul, a RBS havia enviado os profissionais Giovane Klein, Bruno Mauri da Silva, Djalma Araújo Neto e André Podiacki; pelo Globoesporte.com estava Laion Espíndola, além de seis repórteres de rádios catarinenses: Renan Agnolin, Fernando Schardong, Edson Ebeliny, Gelson Galioto, Douglas Dorneles e Jacir Biavatti.
Entre os nomes mais conhecidos, estavam o do jornalista Victorino Chermont, ao lado do narrador Deva Pascovicci, e os comentaristas Paulo Julio Clement e Mário Sérgio - um dos grandes jogadores brasileiros da década de 70. Todos eram do canal FOX Sports. “Em meio à profunda tristeza e consternação pelo ocorrido, e sumamente atentos a toda informação que surge minuto a minuto, na Fox Sports nos solidarizamos e acompanhamos as famílias de nossos companheiros e colegas da Fox Sports Brazil, dos jogadores do clube Chapecoense e de quem perdeu a vida nesta tragédia para a comunicado do futebol latino-americano”, disse o canal em nota.
A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão também se pronunciou sobre o acidente que deixou o jornalismo brasileiro de luto. Através de nota, a ABERT afirmou: “Profundamente consternadas, a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT), a Associação Nacional de Editores de Revistas (ANER) e a Associação Nacional de Jornais (ANJ) lamentam a tragédia que vitimou 20 profissionais da comunicação, jornalistas e técnicos que acompanhavam a delegação da Chapecoense no avião que caiu na Colômbia na madrugada desta terça-feira (29). As entidades manifestam seu pesar e ampla solidariedade aos familiares dos profissionais vitimados no cumprimento de sua atividade, bem como aos dos demais passageiros e tripulantes do voo. Neste momento de luto, as associações se unem também à dor de todos os brasileiros.”

 

Veja também

Tite convoca Paquetá para o lugar de Coutinho na seleção brasileira
Seleção Brasileira

Tite convoca Paquetá para o lugar de Coutinho na seleção brasileira

Tite chama Paquetá para substituir Philippe Coutinho
Eliminatórias da Copa

Tite chama Paquetá para substituir Philippe Coutinho