A promessa africana renovada para a Copa do Mundo

A missão da Nigéria, cheia de caras novas, é repetir o Mundial de 2014, quando chegou às oitavas

Victor Moses é um dos jogadores mais experientes da atual NigériaVictor Moses é um dos jogadores mais experientes da atual Nigéria - Foto: Khaled Desaci/AFP

Você provavelmente deve lembrar do time da Nigéria dos anos 90, com Kanu, Amokachi e cia. Ou pelo menos dos anos 2000, com Babayaro e Okocha. Pois bem. Agora, é hora de anotar novos nomes para o esquadrão nigeriano. A missão é que esta equipe com novas caras possa repetir 2014, quando chegou até as oitavas de final e caiu diante da França.

Avassaladora nas Eliminatórias para o Mundial deste ano, as "Águias" passaram invictas no grupo da morte, que também tinha Argélia e Camarões. O grande responsável pelo bom trabalho é o alemão Gernot Rohr, técnico do time, que está no comando desde 2016. Sob a batuta do técnico, a seleção mudou, e chega com boa força ofensiva para a Copa. Mesmo com jogadores mais experientes como Victor Moses e Obi Mikel, que disputaram o Mundial em 2014, são os mais novos que devem aparecer com mais destaque. É bom ficar de olho em Kelechi Iheanacho, de 21 anos, cria da base do Manchester City e Alex Iwobi, também de 21, jogador do Arsenal.

Participações em Copas: 6 (1994, 1998, 2002, 2010, 2014, 2018)
Ranking na Fifa: 47º
Melhor resultado: Quartas de final (1994)
Craque: Victor Moses (Chelsea/ING)
Técnico: Gernot Rohr
Time-base: Uzoho; Shehu, Troost-Ekong, Idowu e Balogun; Moses, Ndidi, Obi e Iwobi; Iheanacho e Ighalo.

Leia também:

Socceroos veem ídolo se despedir na Rússia
Peru: Fim de uma longa espera
Dinamarca, a candidata à uma vaga nas oitavas
A última chance de La Pulga
Croácia e um meio campo de rmuito espeito
Jovens e talentosos, eis Les Blues
Islândia, a surpreendente seleção dos vikings
Temperaturas agradáveis em Rostov-on-Don e Kazan

Veja também

Eslovênia acusa comitê organizador do Mundial de Handebol de servir comida estragada
Handebol

Eslovênia acusa comitê organizador do Mundial de Handebol de servir comida estragada

Com 21% de chance de queda, Sport encara sequência que lhe deu apenas quatro pontos no 1º turno
Sport

Com 21% de chance de queda, Sport encara sequência que lhe deu apenas quatro pontos no 1º turno