Agência recorre e pede dois anos de gancho para Guerrero

Atacante caiu em antidoping com benzoilecgonina - principal metabólito da cocaína - em jogo das Eliminatórias

Paolo Guerrero, atacante peruanoPaolo Guerrero, atacante peruano - Foto: Getty Images/AFP

Em apelação entregue entregue à Corte Arbitral do Esporte (CAS), em fevereiro, a Agência Mundial Antidoping (WADA) pediu aumento da pena do centroavante Paolo Guerrero, do Flamengo, para dois anos.

O jogador recebeu suspensão de um ano, mas a defesa de Guerrero conseguiu a redução para seis meses no Comitê de Apelação da Fifa. Ele foi flagrado em um exame antidoping com benzoilecgonina -principal metabólito da cocaína- em um jogo do Peru contra a Argentina, pelas eliminatórias da América do Sul para a Copa do Mundo de 2018.

Leia também:
Guerrero volta ao Flamengo após 135 dias afastado
Flamengo afirma que contrato de Guerrero está suspenso
Defesa de Guerrero traça estratégia para absolvição total
Fifa anuncia suspensão de um ano para Paolo Guerrero

O recurso do jogador e o da WADA serão julgados em abril [no mesmo dia], mas os advogados do peruano querem antecipar o desfecho do caso para o quanto antes.

No momento, Paolo Guerrero está apto a realizar o sonho de disputar a Copa do Mundo pela seleção peruana e quer se preparar para o grande desafio. Tudo ainda está em aberto, assim como a sequência no Flamengo.

Após a reativação do contrato com o Rubro-negro -o vínculo havia sido suspenso desde a punição-, as partes se reunirão para conversar sobre a possível extensão do compromisso. O atual se encerra em 10 de agosto.

Veja também

Mesmo longe de técnico, Palmeiras negocia por reforços para defesa e ataque
Futebol

Mesmo longe de técnico, Palmeiras negocia por reforços para defesa e ataque

Khabib Nurmagomedov deixa o MMA com recordes e invencibilidade histórica
MMA

Khabib Nurmagomedov deixa o MMA com recordes e invencibilidade histórica