Alemanha suspende membros da delegação por provocação comemorativa contra Suécia

Antes mesmo de uma possível punição da Fifa, a DFB decidiu que os dois "não terão nenhuma função" na partida contra a Coreia do Sul em Kazan na quarta-feira

Alemanha comemora gol de Toni Kross, que selou a virada contra a SuéciaAlemanha comemora gol de Toni Kross, que selou a virada contra a Suécia - Foto: Adrian Dennis/AFP

A seleção da Alemanha não dará nenhuma função oficial em sua próxima partida na Copa do Mundo, quarta-feira (27) contra a Coreia do Sul, a dois integrantes de sua delegação que provocaram um incidente com a Suécia no sábado (23), informou a Federação Alemã de Futebol (DFB).

A Fifa abriu um procedimento, mas a DFB já apresentou suas próprias conclusões sobre o comportamento de dois membros de sua delegação: Uli Voigt, do departamento de comunicação, e Georg Behlau, diretor de logística.

Leia também:
Alemanha vence Suécia e segue viva na Copa
Alemanha ainda curte virada na épica 'Batalha de Sochi'


Os dois homens, que estavam no banco de reservas da Alemanha no sábado, celebraram a vitória de 2-1 com gestos que os suecos chamaram de provocação, após o gol de Toni Kroos nos acréscimos. Em suas conclusões, a DFB "lamenta" os gestos "inapropriados". Os dois homens pediram desculpas.

Antes mesmo de uma possível punição da Fifa, a DFB decidiu que os dois "não terão nenhuma função" na partida contra a Coreia do Sul em Kazan na quarta-feira. De acordo com as regras da Fifa, no banco de reservas podem ficar 11 integrantes da delegação, incluindo o treinador.

A delegação alemã tem 51 pessoas, sem contar os jogadores, entre integrantes da comissão técnica, analistas, médicos e fisioterapeutas, profissionais da comunicação, da segurança, de logística, três cozinheiros, entre outros.

Veja também

Vasco faz 3 a 0 no CRB e vence a primeira em casa na Série B
Campeonato Brasileiro

Vasco faz 3 a 0 no CRB e vence a primeira em casa na Série B

Vôlei: seleção feminina garante vice-liderança na Liga das Nações
Vôlei

Vôlei: seleção feminina garante vice-liderança na Liga das Nações