Amanda Nunes diz querer "promover paz" no UFC

Enfrentando sua grande amiga, a americana Raquel Pennington, Amanda Nunes defenderá seu cinturão neste sábado (12) na Jeunesse Arena

Brasileira Amanda Nunes (á esquerda), campeã do UFCBrasileira Amanda Nunes (á esquerda), campeã do UFC - Foto: Codie McLachlan/Getty Images North America/AF

Sabe aquelas amigas que vão ao shopping juntas, saem para jantar, se divertir e conversar sobre a vida? Assim é com a brasileira Amanda Nunes e a americana Raquel Pennington. A "pequena" diferença nesta relação de amizade é que neste sábado (12) elas terão que ir na Jeunesse Arena, na Barra da Tijuca (RJ), literalmente "sair no braço" dentro do octógono do UFC 224, quando disputarão o cinturão do peso-galo da organização.

Nunes, que defende o título pela terceira vez, conheceu Pennington através da namorada de sua adversária, a lutadora do peso-palha Tecia Torres (EUA), com quem treinava numa academia na Flórida (EUA).
Leia também:
Somente uma atleta não bate peso para o UFC 224
Luta principal do UFC Rio será entre militantes LGBTs
Mayweather é esperado no UFC, diz presidente Dana White
Mayweather planeja tirar licença para poder lutar no UFC

A amizade cresceu e hoje é comum ver Pennington, Torres, Amanda e Nina Ansaroff (lutadora do peso-palha e namorada da brasileira) juntas, como aconteceu nos bastidores do bate-papo com a imprensa nesta quinta-feira (10) no Rio de Janeiro.

Para Amanda, poder enfrentar uma amiga dentro do octógono será uma oportunidade de transmitir uma mensagem de paz dentro de um esporte considerado violento.

"O lado bom de lutar com uma amiga é que realmente vamos falar sobre a luta. E também sobre o que ela tem de bom, de ruim, o que posso aproveitar no jogo dela... Não vai ter nada pessoal, e isso traz um pouco de paz para os fãs, já que não vai ser só aquela coisa de empurra-empurra, de 'trash talk' (provocações com declarações contundentes ao rival). Não vai rolar essa. Vamos promover um grande show na paz. Uma vai tentar vencer a outra e depois a amizade continua", declarou Amanda.

O ambiente mais "pacífico" é uma novidade para a brasileira, que teve embates acalorados em sua trajetória contra as americanas Ronda Rousey e Miesha Tate e, principalmente, diante de Valentina Shevchenko, do Quirguistão, onde os encontros sempre saíram "faísca" e foram cercados de provocações.

Para Pennington, lutar contra uma amiga tem muitos pontos positivos.

"É diferente. Eu gosto. Antes eu era o tipo de pessoa que tentava evitar meus oponentes, mas aí participei do The Ultimate Fighter 18 (reality show promovido pelo UFC), e quando você está lá jantando com sua oponente e está assim: 'eu vou bater em você amanhã', é algo que te tira da zona de conforto. Então realmente ter esse espírito esportivo, o respeito e amizade, prefiro assim. Acho que, no fim das contas, é um esporte e devemos ter respeito umas pelas outras, mas quando trancarem o octógono, a história é outra", disse ao Canal Combate.

Amanda Nunes e Raquel Pennington farão a luta principal do UFC 224, neste sábado, na Jeunesse Arena, na Barra da Tijuca (RJ), valendo o cinturão do peso-galo.

Veja também

Sport vence Grêmio por 1x0, na Ilha do Retiro
Futebol

Sport vence Grêmio por 1x0, na Ilha do Retiro

Acompanhe todos os lances de Sport x Grêmio, pela Série A do Campeonato Brasileiro
SÉRIE A

Acompanhe todos os lances de Sport x Grêmio, pela Série A do Campeonato Brasileiro