Americana supera Marta em eleição da melhor jogadora

Para chegar ao resultado, a Fifa soma votos de capitães e treinadores de todas as seleções do mundo

Projeto Gestão CidadãProjeto Gestão Cidadã - Foto: Divulgação

 

Pelo segundo ano consecutivo, a norte-americana Carli Lloyd, 34 anos, do Houston Dash, foi eleita a melhor jogadora de futebol do mundo pela Fifa. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (9), na premiação da entidade máxima do futebol, na Suíça. Para levar o prêmio, a meio-campista bicampeã olímpica (Pequim-08 e Londres-12) superou a alemã Melanie Behringer, do Bayern de Munique e da seleção alemã campeã olímpica na Rio-2016, além da maior vencedora do prêmio de todos os tempos, a brasileira Marta, do Rosengard, da Suécia.

Se não venceu, Marta teve o gosto de voltar à disputa, da qual já saiu vencedora cinco vezes consecutivas (2006/07/08/09/10), recorde tanto entre as mulheres quanto entre os homens. Indicada 13 vezes ao prêmio, Marta havia ficado de fora da final da eleição da Fifa na temporada passada.

Para chegar ao resultado, a Fifa soma votos de capitães e treinadores de todas as seleções do mundo (50%), voto popular (25%) e 200 jornalistas de todos os continentes (25%).

 

Veja também

Após debandada, Superliga europeia anuncia que vai 'remodelar projeto'
Superliga

Após debandada, Superliga europeia anuncia que vai 'remodelar projeto'

Empossado, Bivar fala de reforma do estatuto e austeridade financeira
Sport

Empossado, Bivar fala de reforma do estatuto