Apontado como calo, Sport foca no poder de reação do time

O baixo poder de reação vem sendo apontado como grande calo do Sport na Série A. Dos 15 jogos em que saiu atrás no placar, o Leão virou apenas um e empatou dois

Rafael Marques, atacante do SportRafael Marques, atacante do Sport - Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

Entre os principais motivos apontados para a fraca campanha que o Sport faz neste Brasileirão 2018 estão o fraco desempenho da zaga leonina, a segunda pior da competição, a ineficiência ofensiva, a saída de Anselmo, as mudanças de treinadores, os salários atrasados... Porém, um deles vem sendo apontado nos últimos jogos com frequência não só pelos próprios jogadores, mas como também pelo treinador Eduardo Baptista: o fraco poder de reação dos rubro-negros.

Leia também
Sport cai diante do Bahia e continua no Z4
Sport busca na "C" a ajuda para fugir da "B"


O cenário é quase o mesmo na grande maioria das partidas: o Sport começa equilibrado, bem posicionado, mas uma pequena falha e um gol tomado acabam desnorteando a equipe, que não consegue reagir. Nos 23 jogos que fez até agora nesta Série A, o Leão saiu atrás do marcador em 15 ocasiões. E de todas essas, os leoninos conseguiram apenas uma vitória, diante do Palmeiras, por 3x2, e dois empates, contra Corinthians e Chapecoense, em 1x1, perdendo as outras 12 partidas em que começou atrás no placar.

Além de dois empates em 0x0, diante do Internacional e do Grêmio, das cinco partidas em que fez o primeiro gol do jogo, o Sport venceu quatro, contra Bahia, Atlético/MG, Atlético/PR e Paraná, e cedeu apenas um empate, diante do Botafogo, tomando um gol nos minutos finais do 1x1, ainda pela segunda rodada da competição, na Ilha do Retiro.

Experiente, o atacante Rafael Marques foi bastante sincero ao apontar esse "fator psicológico" do baixo poder de reação do grupo como um dos fatores principais para a atual situação que o Leão se encontra na Série A. "Começamos melhor o jogo, mas quando tomamos um gol nós ficamos desnorteados. Foi assim em alguns jogos como contra a Chapecoense, agora diante do Bahia... Fizemos um bom primeiro tempo e começamos bem o segundo, mas tomamos um gol no começo e nos perdemos a concentração e desorganizamos. Isso vem acontecendo e já conversamos, mas não pode continuar acontecendo", analisou o atacante.

Com cinco jogos à frente do Sport nesta sua segunda passagem pela Ilha do Retiro, Eduardo Baptista também apontou o baixo poder de reação da equipe como um dos pontos fracos. Porém, o comandante leonino ainda não conseguiu apontar uma única causa como responsável por derrubar a confiança dos seus comandados quando levam o primeiro gol da partida, mas já descartou algumas hipóteses. "Sei que muitos vão falar isso, mas não é por questão física. Eu entendo um pouco do assunto (Eduardo Baptista é preparador físico de formação) e sei identificar que não é por isso. Também não vejo que seja por salários atrasados, como vocês estão questionando. Temos um elenco de homens, profissionais que estão lutando para tirar o Sport dessa situação. Vamos buscar essa solução”, explicou Baptista.

Jogos em que o Sport saiu atrás no marcador
América 3x0 Sport
Cruzeiro 2x0 Sport
Sport 1x1 Corinthians
Palmeiras 2x3 Sport
Vasco 3x2 Sport
Ceará 1x0 Sport
Fluminense 2x1 Sport
Vitória 1x0 Sport
Flamengo 4x1 Sport
Sport 1x1 Chapecoense
Sport 1x3 São Paulo
Santos 3x0 Sport
Sport 0x2 América/MG
Botafogo 2x0 Sport
Bahia 2x0 Sport

Jogos em que o Sport saiu na frente
Sport 1x1 Botafogo
Sport 2x0 Bahia
Sport 3x2 Atlético/MG
Sport 1x0 Atlético/PR
Sport 1x0 Paraná

Empates sem gols
Internacional 0x0 Sport
Sport 0x0 Grêmio

Veja também

Eslovênia acusa comitê organizador do Mundial de Handebol de servir comida estragada
Handebol

Eslovênia acusa comitê organizador do Mundial de Handebol de servir comida estragada

Com 21% de chance de queda, Sport encara sequência que lhe deu apenas quatro pontos no 1º turno
Sport

Com 21% de chance de queda, Sport encara sequência que lhe deu apenas quatro pontos no 1º turno