SANTA CRUZ

Após acusação, Constantino Júnior nega tentativa de interferência na Comissão de Reforma do Estatuto

Presidente do executivo do Santa Cruz disse apenas ter direcionado o documento ao Conselho Deliberativo após reunião do Conselho de Administração

Constantino Júnior, presidente do Santa CruzConstantino Júnior, presidente do Santa Cruz - Foto: Anderson Stevens/Arquivo Folha

O presidente do executivo do Santa Cruz, Constantino Júnior, negou qualquer tentativa de interferência política na Comissão de Reforma do Estatuto. A réplica aparece após ser acusado em carta aberta pelo ex-presidente da Comissão de Reforma estatutária, Diogo Melo, de tentar interceder politicamente ao assinar um documento para a entrada, na comissão, de membros do clube contrários à reforma do estatuto coral, no final de 2018. Em contato com a Folha de Pernambuco nesta segunda-feira (06), o mandatário tricolor afirmou apenas ter direcionado o documento ao Conselho Deliberativo, após reunião realizada pelo Conselho de Administração, atualmente presidido por Antônio Luiz Neto. 

Além de ex-presidente da Comissão de Reforma do Estatuto, Diogo Melo também foi primeiro secretário do Conselho Deliberativo e conselheiro do clube. Na carta, referindo-se a alguns dos motivos que levaram a sua renúncia, no ano de 2019, ele cita que “na reta final dos trabalhos (da comissão), o então presidente do clube Constantino Júnior tentou incluir forçada e indevidamente pessoas sabidamente contrárias ao projeto entre os membros da Comissão de Reforma do Estatuto”. 

“Eu pedi inserção nada, eu direcionei um documento que foi da reunião do Conselho de Administração. Não vou discutir assuntos internos aqui fora. A comissão foi formada e foi mantida. Eu simplesmente passei um documento para o Conselho Deliberativo, até porque entendo como órgão competente para isso. Passei o documento do Conselho de Administração para o Conselho Deliberativo. Então, nada de interferência. Se houvesse interferência não tinha tido a reunião do Conselho”, rebateu Constantino. 

“O momento é de dar foco total nos assuntos da casa, nos assuntos do Santa. Quem me conhece sabe tudo o que a gente montou, mas existem os poderes lá para que sejam respeitados. O Conselho Deliberativo é um órgão que tem seu comando, tem sua presidência. Foi direcionado um documento após uma reunião do Conselho de Administração, como está bem claro no documento. Se fosse interferência não era uma solicitação ao Conselho, era uma determinação, e não foi isso que aconteceu”, finalizou o chefe do executivo tricolor. 

A Comissão de Reforma do Estatuto foi criada em 2018, no mesmo ano em que Tininho assumiu a presidência do Santa Cruz para o cumprimento do triênio, que se encerra no final de 2020. 

Veja também

Vice-presidente da Argentina defende canto racista de jogadores contra franceses
Racismo

Vice-presidente da Argentina defende canto racista de jogadores contra franceses

Prime Tennis Academy e Recife Tênis Clube realizam terceira etapa do Campeonato Pernambucano 2024
Tênis

Prime Tennis Academy e Recife Tênis Clube realizam terceira etapa do Campeonato Pernambucano 2024

Newsletter