Após inovar, Tite mantém padrão nas substituições do time

Assim como nos outros jogos, Tite também fez três alterações. Uma foi por motivo de contusão, outra para manter o ritmo do time e a terceira mais conservadora

Tite, técnico da Seleção BrasileiraTite, técnico da Seleção Brasileira - Foto: Patrik Storllaz/AFP

Após fugir do seu padrão nas alterações feitas durante o jogo na vitória sobre a Costa Rica por 2x0, o técnico Tite manteve sua característica no triunfo da Seleção Brasileira diante da Sérvia por 2x0, nesta quarta-feira (27), na Arena Spartak, em Moscou, pela última rodada do Grupo E da Copa do Mundo.

Assim como nos outros jogos, o treinador também fez três alterações. Desta vez, uma foi por motivo de contusão, outra para manter o ritmo do time e a terceira mais conservadora.

Desde seu primeiro jogo oficial no comando da equipe -em setembro de 2016-, Tite utilizou as três modificações em dez das quinze partidas, incluindo o duelo contra os sérvios.

Leia também:
Brasil bate Sérvia e vai encarar o México nas oitavas
Adversário do Brasil, México nunca venceu a Seleção em Copas
Marcelo vira o sétimo lesionado do Brasil no período da Copa
Tite revela choro em jogo de estreia pela Seleção

Nesta quarta-feira, a primeira mudança foi justamente por lesão. Com nove minutos, colocou o lateral esquerdo Filipe Luís, 32, na vaga de Marcelo. Foi a alteração mais rápida feita pelo treinador em 24 jogos -amistosos e partidas oficiais- dirigindo a seleção.

O jogador do Atlético de Madri entrou pela primeira vez em uma partida de Mundial. Em 2010, ele estava cotado para jogar a competição na África do Sul, mas fraturou o tornozelo direito quatro meses antes da convocação. Quatro anos depois, Felipão preferiu levar Maxwell.

Além da entrada de Felipe Luís, Tite fez mais duas alterações padrões. A segunda no jogo foi aos 20 minutos da etapa complementar, quando colocou Fernandinho no lugar de Paulinho. O jogador do Barcelona já havia sido substituído no segundo tempo contra Suíça e Costa Rica, aos 22 minutos e aos 23 minutos, respectivamente.

Já Fernandinho entrou pela quarta vez na etapa complementar com o treinador em partidas oficiais. Contra a Suíça, o volante do City substituiu Casemiro, que havia recebido o cartão amarelo, enquanto diante da Costa Rica entrou no lugar de Gabriel Jesus para ganhar tempo.

A última alteração foi aos 34 minutos do segundo tempo, quando colocou Renato Augusto no lugar de Coutinho, que havia atuado durante os 90 minutos das duas primeiras partidas.

Com a mudança, ele desfez a formação com o quarteto ofensivo. O time ficou com três jogadores de característica de armação: Casemiro, Fernandinho e Renato Augusto.

Já os três atacantes que terminaram o duelo contra os sérvios foram Willian, Neymar e Gabriel Jesus, que manteve o jejum de gols na competição.

Desta vez, Firmino, que havia entrado no decorrer das duas últimas partidas, ficou apenas no banco de reservas.

A atitude do treinador no jogo diante da Sérvia foi totalmente diferente do comportamento dele contra os costarriquenhos. Na oportunidade, Tite fugiu de seu padrão.

Ele surpreendeu ao trocar o atacante Willian por Douglas Costa logo no intervalo da partida. Em jogos oficiais, ele jamais havia feito uma substituição tática logo após o término da etapa inicial.

Contra os costarriquenhos, ele colocou também Firmino no lugar de Paulinho. Assim, deixou em campo cinco jogadores com características ofensivas, o que ainda não tinha feito nas partidas anteriores. O atacante do Liverpool jogou simultaneamente com Willian, Gabriel Jesus, Coutinho e Neymar.

Veja também

Após folga, Seleção Brasileira treina para enfrentar Colômbia
Copa América

Após folga, Seleção Brasileira treina para enfrentar Colômbia

Alex comemora desempenho diante do Botafogo
Futebol

Alex comemora desempenho diante do Botafogo