Após retorno precipitado, Natan revive drama de lesões

Revelado na base coral, o meia, que conta com um histórico de contusões, voltou a atuar antes do tempo e se deu mal

Meia Natan no treinamento do Santa CruzMeia Natan no treinamento do Santa Cruz - Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

Parece até uma notícia velha, mas Natan voltou a se machucar no Santa Cruz. Já são três jogos de fora por conta de uma lesão no tornozelo direito, que foi sentida no jogo contra o Figueirense, no dia 14 de outubro. Desde que retornou ao Arruda para a sua segunda passagem, em setembro desde ano, o meia não conseguiu ser titular. Até então, só entrou em quatro partidas e tem um total de 63 minutos em campo no Campeonato Brasileiro da Série B.

Leia também: 

Natan esquece lesões e revela trabalho especial  

Pronto para estrear, Natan deseja escrever nova história 

Após reestreia rápida no Santa, Natan busca seu espaço 

Natan volta a se machucar e é vetado pela terceira vez 

Quando foi apresentado oficialmente, ele pediu para que deixasse o assunto de contusões no passado e disse que evoluiu após fazer um tratamento especial no Criciúma/SC, em 2015. Avisou também que queria escrever uma nova história na Cobra Coral. Ainda por cima, lembrou que em 2016 quando estava no Cuiabá/MT, seu último clube, não se machucou. Nesta temporada, tinha jogado apenas sete partidas no time mato-grossense.

As lesões acompanham Natan desde o início da sua carreira. Este ano, já havia tido um problema muscular na panturrilha, no Cuiabá/MT. Cria da base do Santa e revelado em 2009, o atleta de 26 anos começou a sofrer várias lesões musculares na coxa em 2011, ano em que subiu para o elenco profissional tricolor. 

Na coletiva de imprensa, o técnico Marcelo Martelotte revelou que o jogador antecipou a sua volta e acabou se dando mal. Na Série C, só tinha disputado três partidas pelo Cuiabá/MT. Antes de reestrear pelo Santa Cruz, contra o Londrina/PR, pela 25ª rodada, seu último jogo tinha sido no dia 2 de setembro.

“Eu entendo que o Natan tentou precipitar uma volta por tudo que se fala dele. Sofreu uma entrada forte de um jogador do Figueirense e agora vem tentando ficar à disposição. Ele está com vontade de jogar e ajudar os companheiros. Mas vejo um incômodo com tudo ligado ao departamento médico e às lesões”, declarou o comandante, que conhece o atleta desde 2013, quando conquistaram o tricampeonato pernambucano.

"Conheço o Natan e sei da sua qualidade. A contratação dele foi uma indicação. Essa pausa atrapalha, principalmente por ser um momento decisivo. Mas acredito muito nele e no departamento médico. Pelo trabalho que ele vinha realizando, tenho certeza que vai se recuperar e vamos contar com ele", finalizou.

Veja também

Japão prevê 10.000 médicos e enfermeiros para Jogos Olímpicos
Olimpíadas

Japão prevê 10.000 médicos e enfermeiros para Jogos Olímpicos

Equipe do Sesi/SP tem período de treinos no Parque Santos Dumont
Natação

Equipe do Sesi/SP tem período de treinos no Parque Santos Dumont